Operação Calvário: Livânia Farias recebia propina de R$ 80 mil da Cruz Vermelha e “presenteou” familiares com carros



O Blog do Levi teve acesso ao despacho do desembargador Ricardo Vital de Almeida para dar cumprimento a mandados de busca e apreensão, baseado na apuração do Ministério Público que ouviu o depoimento do ex-assessor Leandro Nunes Azevedo acerca da terceira fase da Operação Calvário nesta quinta-feira (14).

O GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate à Corrupção) apura desvios de recursos públicos da Saúde do Estado da Paraíba e lavagem de dinheiro através da empresa Cruz Vermelha Brasileira.

No documento há relatos de que a Secretária de Administração, Livânia Farias recebia um pagamento no valor de R$ 80 mil, referente à propina da Cruz Vermelha. “Depois que Samuel passou a entregar os recursos quase mensalmente; que geralmente as entregas eram em torno de R$ 80 mil; que era um valor aquém do combinado, e Livânia reclamava”, revelou Leandro em depoimento qualificado que durou cerca de 16 horas.


""

Familiares

Considerado um dos operadores da Organização Criminosa, Leandro Azevedo também confessou que a secretária estadual teria como forma de dissimular o seu patrimônio adquirindo bem móveis e imóveis em nome de familiares. Ele citou veículos dados a familiares que moram em Sousa e Santa Cruz, uma casa no valor de R$ 400 mil na cidade de Sousa e salas comerciais na Capital, algumas em nome de uma sobrinha. Elvis Rodrigues, ex-marido também é citado como dono de uma sala.

Leia mais: Operação Calvário: esposa de João Estrela se pronuncia sobre compra da casa de Livânia Farias

Diz o relatório que “em nome dos sobrinhos Carlos Pereira Leite Júnior e Lucas Winnicius da Silva Leite foram identificados dois veículos modelo Gol. Quanto ao irmão Haroldo Rivelino da Silva consta o pagamento de caminhonete Frontier/Attack, cujo veículo está em nome da sobrinha Gabriella Isabel da Silva Leite. No nome dela ainda existe um imóvel comercial no Edifício Center Park”.

 

Fonte – Blog do Levi Ferreira