Nesta quarta-feira, dia 10, o Ministério Público Estadual (MPE), PROCON/Paraíba, PROCON/Patos, Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial da Paraíba (IMEQ), Vigilância Sanitária, Polícia Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, além de outros órgãos, realizaram uma operação para averiguar inconformidades em postos de combustíveis, supermercados e agências bancárias na cidade de Patos.

A ação movimentou a cidade, porém, a repercussão se deu em maior destaque nos três postos de combustíveis que foram averiguados: Liberdade, Beira Rio e Ipiranga. Nos postos Ipiranga e Liberdade os dois representantes foram detidos e a liberação se deu na manhã desta quinta-feira, dia 11, após audiência de custódia no Fórum Miguel Sátiro. O Posto Beira Rio foi notificado e teve uma das bombas interditadas para se adequar as normas de metrologia.

O Promotor Dr. Uirassu Medeiros, do MPE, concedeu entrevista e disse que foram encontradas inconformidades nos postos. De acordo com o promotor, a infração no posto Beira Rio se deu por um dos bicos estar no limite do permitido e se notificou para que ocorresse readequação. Nos postos Liberdade e Ipiranga, os bicos apresentaram maiores discrepâncias e por isso se deu a detenção dos responsáveis, mas os postos estão funcionando sem interdição total.

A reportagem do Patosonline.com buscou falar com os representantes dos postos de combustíveis citados. O representante do posto Beira Rio comentou que a imprensa fez um desserviço e que seu estabelecimento não deveria ter sido citado em nada, pois não teve irregularidade alguma. “Um único bico estava no limite e nós mesmos interditamos para regularização”, disse H. Milton. O representante do Posto Liberdade foi procurado, porém, até o fechamento desta matéria não havia feito contato conforme combinado pela manhã desta quinta-feira.

Falando em nome do Posto Ipiranga, o médico e empresário Natan Medeiros relatou que a fiscalização deveria ter sido feita em todos os postos da cidade de Patos, pois, dos quase 30 postos, apenas 3 foram fiscalizados na questão de quantidade, mas se faz necessário ver também a questão de qualidade. “Tivemos um problema em um único bico de uma bomba que foi recentemente instalada. São seis bicos e um deu problema. Por causa disso nosso posto foi penalizado e meu irmão foi apreendido por causa dessa irregularidade. É algo que eu considero de extrema injustiça porque não houve, de nenhuma forma, culpa da gente. Esse bico já havíamos detectado o problema e isolamos para aguardar o técnico, mas durante a operação decidiram ignorar o nosso isolamento e verificar. Todas as nossas bombas são do mesmo modelo....a Wayne é marca mundialmente conhecida e nós vamos acionar a justiça para punir a empresa fabricante, pois nos causou danos morais e materiais”, relatou Natan.

O empresário finalizou a entrevista se solidarizando com o irmão que é funcionário público efetivo federal e uma pessoa sem nenhuma mácula na sua trajetória de vida. “Sinto muito pelo que meu irmão precisou passar...”, desabafou Natan.

 

 

Jozivan Antero – Patosonline.com


 

OUÇA entrevista com Natan Figueiredo e Dr. Uirassu Medeiros: