O Diretório Municipal da Unidade Popular (UP), em Patos, vem manifestar-se acerca dos últimos acontecimentos políticos na cidade, especialmente no que se refere à renúncia do prefeito interino Bonifácio Rocha. Este fato, mais uma vez, muda a conjuntura política local e agrava a instabilidade administrativa municipal.

O cenário é grave e preocupante. Patos é governada, há algumas décadas, por grupos políticos que se resumem a três sobrenomes. A renúncia de Bonifácio Rocha significa a permanência das velhas oligarquias, que já se preparam para o retorno ao poder.

Na carta, o então prefeito Bonifácio Rocha justificou sua renúncia afirmando: “nossa gestão desagradou muita gente com interesses não republicanos” e “por tudo que envolve a briga insana pelo poder”.

Que gente tinha interesses não republicanos? Que forças travam brigas insanas pelo poder?

Estas perguntas, que são de grande interesse do povo patoense, só podem ter uma resposta: os velhos grupos que se acham proprietários da gestão pública e que não toleram nenhum tipo de alternativa política.

O que também chamou a atenção dos patoenses foi o fato de, na cerimônia de posse do atual prefeito Sales Júnior (então presidente da Câmara de Vereadores), este fez questão de estar acompanhado de políticos tradicionais da cidade, a exemplo do deputado estadual Nabor Wanderley, do deputado federal Hugo Mota, bem como de vários ex-secretários e aliados das gestões feitas pela família dos referidos deputados. Ou seja: é uma gestão que já nasce sob a tutela deste grupo familiar que não tem nada a oferecer para o futuro da nossa cidade.

A Unidade Popular estará vigilante e dialogando intensamente com a sociedade para que, mais uma vez, os anseios particulares não coloquem em último plano as necessidades do povo patoense. Só o poder popular pode garantir uma verdadeira democracia para Patos e para o Brasil!

 

Patos-PB, 15 de abril de 2019

 

DIRETÓRIO MUNICIPAL DA UNIDADE POPULAR – UP