Um grupo de mães residentes na zona sul de Patos, procurou a Secretaria Municipal de Educação na manhã desta quinta-feira, 14/3, para prestar apoio a cuidadora de aluno Maria Poliana Ferreira de Sousa, que vem sendo acusada nas redes sociais, de proibir que um estudante possa utilizar o transporte escolar por conta do fardamento incompleto.

A servidora do caso evidenciado cumpre sua rotina de trabalho na rota que abrange as escolas Maria das Chagas Candeia; Pr. Frank Dayer; Firmino Aires; Manoel Roberto e Nelita Nóbrega, além da creche Cremilde Wanderley, atendendo crianças das comunidades Sapateiros; Jatobá e Monte Castelo, na Zona Sul de Patos.

De acordo com Maurisete Maria Lima da Silva, avó de uma criança assistida pela cuidadora, a iniciativa da comunidade tem por objetivo prestar os esclarecimentos necessários sobre os cuidados recebidos pelas crianças em seu cotidiano.

“Eu tenho um neto especial matriculado há dois anos, ele nunca foi maltratado. Poliana é uma pessoa ótima e tem capacidade de assumir o trabalho dela sim”, relatou a avó de aluno Maurisete Maria Lima da Silva.

Já Rosimere da Silva Araújo, mãe de duas crianças assistidas pela rota dos Sapateiros, disse desconhecer qualquer tipo de anormalidade no serviço, uma vez que os alunos vêm recebendo toda a assistência necessária por parte da cuidadora.

“Ela é a mãe do ônibus e nós somos a mãe de casa. Ela nunca tratou nossos filhos mal, eu tenho duas filhas pequenas, uma de três anos que é diabética, ela sabe quando minha filha está doente ou não, faz três anos que eu ando no ônibus e não sei por que estão dizendo isso dela”, relatou Rosimere.

NOVA ROTA

O chefe do setor de transporte da Secretaria de Educação Tiago Carneiro, explicou que a Secretaria de Educação estará desmembrando a rota, oferecendo horários diferenciados para os estudantes daquelas comunidades evitando, a condução de alunos de escolas e creches ao mesmo tempo, e a superlotação do veículo.

“A partir de hoje, (14/3), vamos estar separando os alunos de escolas de alunos de creches. Vai ser uma viagem para os alunos das escolas e outra viagem para os alunos de creche. Acredito que com essa atitude estaremos resolvendo de vez o problema da rota dos sapateiros”, finalizou Tiago Carneiro.

 

Coordecom