A Empresa Viga Engenharia, que está responsável pela execução das obras do Canal do Noé Trajano e do Novo Horizonte, da Vila Olímpica e do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), comunicou que está suspendendo os trabalhos a partir desta terça-feira, dia 12, e vai dar férias coletivas aos seus 82 trabalhadores.

A principal alegação dos proprietários para suspensão das obras é de que a Prefeitura Municipal de Patos não está pagando as medições pelos serviços executados. De acordo com Maxwell Bryan, da Viga Engenharia, a prefeitura nem agiliza para que os recursos do Governo Federal sejam pagos pela Caixa Econômica Federal e nem paga a contrapartida da própria prefeitura.

“O dinheiro está em conta! Não é culpa da empresa, pois nós queremos trabalhar, mas sem recursos como vamos pagar os trabalhadores, fornecedores e as demais obrigações que temos? A Prefeitura tem que fazer a parte dela”, relatou Maxwell.

Os proprietários da Viga Engenharia estão aguardando uma reunião com o prefeito Bonifácio Rocha (PPS). O encontro deveria ter ocorrido na semana passada, foi adiado para esta terça-feira, dia 12, e agora ficou para a quarta-feira (13).

Marcos Vinícius, fiscal engenheiro da Secretaria de Infraestrutura do Município de Patos (SEINFRA), e que faz o acompanhamento das obras, relatou que houve reprogramação e falou que não existem pendências na Vila Olímpica, mas sim houve uma reprogramação e que aguarda a empresa Viga realizar os serviços apostados pela SEINFRA. “Faltam execuções para podermos pagar”, disse o engenheiro.

Em relação aos canais, Marcos Vinícius comentou que existem medições para serem feitas, mas que se aguarda reprogramação para atender as exigências legais. “A SEINFRA está notificando a empresa VIGA hoje, pois só podemos pagar com liberação da Caixa Econômica, mas temos. “Não existe medições para serem pagas para a Viga! Nós só podemos pagar quando as exigências forem atendidas para o dinheiro ser liberado”, finalizou Marcos.

 

 

Jozivan Antero – Patosonline.com