Locais

“Nos próximos meses não teremos dinheiro nem para pagar energia da universidade”, relata professor da UFCG, Campus de Patos

O professor Jair Moisés, da Universidade Federal de Campina Grande, Campus Patos (UFCG/Patos), da Associação dos Docentes da Universidade Federal (ADUF-CG), relatou de forma angustiada sobre os profundos cortes que o Governo Federal vem promovendo na educação em todos os níveis, mas, principalmente, no ensino superior.

Jair Moisés – ADUF – CG

Recentemente, na Lei Orçamentária Anual (LOA), para 2.021, o Governo Federal fez mais um profundo corte que chegou a 1 Bilhão de Reais. Os cortes vêm ocorrendo ano após ano e já põe em risco a pesquisa, extensão, a assistência estudantil, que ajuda estudantes de baixa renda, além de prejudicar a infraestrutura nos serviços básicos essenciais como pagamento de água, energia, telefone e manutenção.

Para Jair Moisés, o presidente Jair Bolsonaro, juntamente com o MEC, vem promovendo um desmonte da universidade e da educação brasileira. “É inadmissível que se trate a educação como esse governo vem tratando. A nossa universidade, a UFCG, vai entrar em um momento crítico, muito crítico. Porque, possivelmente, nos próximos meses nós não teremos recursos, simplesmente, para pagar energia, para pagar telefone, para fazer a universidade funcionar de forma básica. A universidade não pode ser tratada dessa maneira..”, relatou Jair.

O professor fez um apelo para que a sociedade, os estudantes, os servidores e o povo em geral façam uma reflexão sobre essa forma que o Governo Federal vem tratando a universidade e a educação como um todo. “Fica aqui nossa indignação contra esse esfacelamento e esse tratamento que o Governo vem dando a universidade brasileira”, finalizou Jair.


Jozivan Antero – Patosonline.com

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
close