“Não é por aumento de salário, mas para defender os Correios que está sendo atacado”, diz trabalhador durante ato na cidade de Patos



Na manhã desta sexta-feira, dia 21, os trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) realizaram ato público no centro da cidade de Patos. O evento contou com a presença de líderes sindicais, representantes de entidades e de partidos políticos, funcionários públicos solidários e demais cidadãos que apoiam a luta em defesa dos Correios.

Fazendo uso da palavra no carro de som, o diretor do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios e Telégrafos (SINTECT-PB), Francisco de Assis, disse que a greve que foi deflagrada “Não é por aumento de salário, mas para defender os Correios que está sendo atacado”. De Assis, como é mais conhecido, relatou que Bolsonaro vem desrespeitando os acordos trabalhistas e provocando um desmonte nos Correios.

Presente ao ato, o pré-candidato a prefeito de Patos Lenildo Morais (PT) prestou solidariedade aos trabalhadores dos Correios e comentou que uma empresa que tem mais de 350 anos de prestação de serviços ao Brasil deve ser melhorada e não desmontada e ameaçada de venda.

Emanuel Escarião, presidente do diretório municipal da Unidade Popular (UP), e que já foi carteiro na cidade de Patos, fez questão de destacar a luta histórica dos trabalhadores dos Correios e lamentar o desrespeito do presidente Bolsonaro ao patrimônio do Brasil. Outros militantes da UP também se fizeram presentes ao ato e usaram da palavra de forma pública.

Janderson Figueiredo, presidente do PSOL/Patos, Aniceto Rodrigues, servidor licenciado do IFPB/Patos, Bruno Sarmento, Jozivan Antero e outras lideranças estiveram também no ato em defesa dos Correios.

O vice-presidente licenciado do Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região (SINFEMP), José Gonçalves, falou que a sociedade deve compreender que o ataque aos direitos dos trabalhadores vem sendo um dos objetivos do Governo Federal. Cleodon Bezerra, diretor do Sindicato dos Bancários de Patos e Região, referendou as palavras de José Gonçalves e acrescentou que o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal também estão sendo atacadas por Bolsonaro.

Todas as lideranças que fizeram uso da palavra destacaram que o Governo Federal é entreguista, ataca os direitos dos trabalhadores e vem entregando as lucrativas empresas estatais ao capital privado.  


Patosonline.com





Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal Patosonline.com não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.