Nacional de Patos detalha colapso financeiro e lista dificuldades para reativar atividades no futebol

Canário do Sertão se desfez de quase todo seu elenco e da comissão técnica — Foto: Joab Medeiros / Nacional-PB



A paralisação do futebol por conta da pandemia do novo coronavírus não está afetando apenas os aficionados pelo esporte, que seguem ansiosos para verem a bola rolar, mas também os clubes, que a cada dia sem atividades veem suas dívidas aumentarem. É o caso do Nacional de Patos , que está numa situação financeira bem delicada. Em vídeo institucional (assista), o presidente do Canário do Sertão, Cleodon Bezerra, detalhou a situação.

Segundo Cleodon, parte da crise instaurada se deu devido ao não repasse de verbas por parte das entidades governamentais. Dentre essas receitas, o próprio mandatário citou dois programas do Governo do Estado da Paraíba e um da Prefeitura de Patos, que, somados, renderia por volta de R$ 500 mil aos cofres do Alviverde patoense.

– O Nacional de Patos está em colapso financeiro. Imagino que não só o Nacional, mas outros clubes estejam em situação semelhante. A gente cobra, que é um direito nosso, receber desses valores (benefícios governamentais), tanto do Gol de Placa do ano passado, quanto do Incentivo ao Esporte e da subvenção da prefeitura – disse, em tom de desabafo, o presidente do Nacional de Patos.

Outro fator elencado pelo próprio dirigente que impossibilitaria o Nacional de Patos de participar de uma possível retomada do Campeonato Paraibano é a necessidade de os próprios clubes arcarem com os custos dos protocolos de segurança. Ele citou a cartilha da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de medidas preventivas ao coronavírus e afirmou que o clube não tem condições financeiras de segui-la.

– Além da possibilidade de contaminação dos atletas da partida, tem a questão da cartilha da CBF, que preza por algumas regras que o Nacional, como time pequeno do interior, numa situação financeira complicada, tem dificuldade de colocar em prática. Como um alojamento individual para cada atleta, testes da Covid-19 para os atletas e seus familiares. Só um teste é na faixa de R$ 300. Então, diante desse caos financeiro, não temos possibilidade de voltar às atividades – explicou Cleodon Bezerra.

Depois de ter se desfeito de quase todo seu elenco e comissão técnica, o Nacional de Patos se posicionou favorável ao encerramento definitivo do Paraibano. Vale lembrar que, em caso de retorno da competição, o Canário do Sertão vai retornar a campo para as duas rodadas finais da primeira fase, nas quais tem pouquíssimas chances de classificação e baixíssimo risco de rebaixamento.


Por GloboEsporte.com — Patos, PB

error0
Tweet 20
fb-share-icon20
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com