Nacional anuncia contratação de 2 novos jogadores



O Nacional de Patos estréia sábado, às 20h30, na terceira fase do Campeonato Brasileiro da Série C, recebendo o Barras, do Piauí, no estádio José Cavalcanti, em Patos, de acordo com a tabela da CBF.
Ontem à tarde, a diretoria do clube confirnou as contratações do zagueiro Luizão, que jogou no São Caetano e Curitiba e o atacante Júnior Ferrim, que atuou pelo Campinense.

A CBF admitiu ontem, que o Nacional, pode ter a Tuna Luso como adversário em vez do Rio Branco. É que, o Imperatriz do Maranhão pode ser punido por ter atuado com um jogador irregular. Se isso acontecer, A Tuna ganha a vaga no Grupo 17 ficando na segunda colocação e o Rio Branco seria o primeiro. O Grupo 19 seria formado por Nacional, Barras (PI), Tuna Luso (PA) e Coruripe (AL).

Para o volante Raminho, um dos destaque na brilhante campanha do time alviverde, garante que será importante o Nacional conseguir uma vitória para começar na primeira colocação do grupo e ganhar motivação na competição.

Atlético ainda tem problema do Brasileiro
A diretoria do Atlético ainda tem problemas, mesmo depois de encerrar sua participação dentro das quatro linhas no Campeonato Brasileiro da Série C.

O seu presidente, Joselito Feitosa, assim como o clube estão passíveis de sanções severas por parte da Justiça Desportiva, em reunião que acontece, hoje, às18h, quando o dirigente será julgado pelos incidentes verificados no jogo entre Nacional e Atlético, disputado no último dia 19, no estádio José Cavalcante, em reunião do Superior Tribunal de Justiça Desportiva-CBF, no Rio de Janeiro.

De acordo com a pauta do STJD, o presidente do Atlético Joselito Feitosa está incurso nos artigos 252 e 278 do CBJD e pode pegar uma suspensão de 30 a 120 dias, o mesmo acontecendo com o atleta Uelson Severino dos Santos que foi incluso nos artigos Artigos. 250, 253 c/c 157 II e 252, todos combinado com o Artigo 184, todos do CBJD. Ele pode pegar de 120 a 540 dias de suspensão.

Naquela oportunidade, segundo relato do árbitro Marcos Vasconcelos, o dirigente disparou ofensas ao trio de arbitragem, além de ameaças, tudo por conta de uma penalidade máxima assinalada nos minutos finais da partida e favorável ao Nacional que acabou ganhando o jogo por 2 a 1.

O curioso é que depois desta partida o árbitro Marcos Vasconcelos se afastou em definitivo da arbitragem.