Policial

Nabor debate sobre a importância da cultura de algodão na Paraíba

Na manhã desta quarta-feira, (02), o deputado estadual, Nabor Wanderley (PMDB) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) para debater a importância da cultura de algodão para a economia do Estado.

 O parlamentar destacou que o cultivo do algodão já teve uma grande relevância na economia da Paraíba e que atualmente só não caiu no esquecimento devido uma importante iniciativa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Nabor lembrou que “o cultivo de algodão na Paraíba- chamado de ouro branco- já foi tão importante e relevante que o nosso Estado chegou a ganhar projeção internacional por ter sido o maior produtor da fibra no Brasil. A produção de algodão no Nordeste, especialmente na Paraíba, abastecia o mercado brasileiro e o excedente era exportado. A cidade de Patos, por exemplo, reunia várias usinas e cooperativas de algodão”.

O deputado ressaltou também que praticamente não existe mais produção de algodão no Nordeste semiárido, embora o Brasil continue sendo um grande produtor, mas a produção ocorre na região Centro-Oeste e em áreas do Nordeste que, geograficamente, se interligam com o Cerrado.

Durante o debate, o deputado Renato Gadelha (PSC) destacou a importância do tema e lembrou que seu pai fora um grande produtor de algodão no Estado da Paraíba. Falou ainda que o cultivo de algodão empregava cerca de 3 milhões de nordestinos e a Paraíba era o terceiro maior produtor e hoje foi praticamente dizimado. Ele enfatizou que a agricultura familiar pode recuperar o algodoeiro no Nordeste e parabenizou o deputado Nabor por trazer essa discussão para a Casa e pediu que o tema não fosse esquecido, cobrando da Embrapa e do Ministério da Agricultura soluções para a volta do cultivo de algodão no Nordeste, especialmente na Paraíba.

Falaram também os deputados Jeová Campos (PSB), João Gonçalves (PDT) e Antonio Mineral (PSDB) enfatizando a importância da discussão do assunto na ALPB e lembraram que a pobreza no sertão da Paraíba e do sertão nordestino agravou justamente quando acabou o cultivo do algodão.

Nabor finalizou seu discurso falando do projeto do Governo do Estado, Algodão Paraíba, que ainda embrionário, proporcionou em 2016 apenas 11 toneladas de algodão branco em rama e a previsão de colheita para este ano de 2017 é de aproximadamente 90 toneladas, numa área de 120 hectares, beneficiando mais de 100 agricultores familiares produtores de algodão branco agroecológico.

“Mas a tendência do Governo da Paraíba é elevar a produção gradativamente, de forma que o algodão volte a ter a importância que teve na economia do Estado. Que o nosso outrora ouro branco, agora marrom, bege, verde e de outras cores, volte a movimentar nossa economia, gerando empregos no campo, nas fiações e na indústria da moda”, finalizou.

 

Escute parte da fala do deputado:

 

 


 

Assessoria

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
close