Policial

Mulher é morta a facadas dentro de casa e na frente dos filhos, na Paraíba; companheiro é o principal suspeito

Crime ocorreu no fim da noite de segunda-feira (23) e a vítima foi morta com cerca de 15 facadas na frente dos filhos, na casa onde morava.

ÓTICAS GUIMARÃES

Uma mulher de 36 anos, identificada como Maria Tavares da Conceição, foi morta com golpes de faca dentro da casa onde morava e na frente dos filhos pelo companheiro, segundo a Polícia Civil, no fim da noite de segunda-feira (23), no sítio Barra de Gramame, no Conde, na Grande João Pessoa. O suspeito fugiu após o crime.

O crime ocorreu por volta das 23h30, quando o suspeito teria ingerido bebida alcoólica e ocorreu um desentendimento entre o casal, e, após uma breve resolução do desentendimento, a vítima foi dormir. Já na cama, o suspeito desferiu golpes de faca contra a vítima, que não pode se defender. Segundo a família, foram mais de 15 golpes de faca contra Maria Tavares, e, quando vizinhos encontraram o corpo, encontraram a faca cravada no corpo da vítima.

Os filhos da mulher, sendo um deles do casal e outros três de outro relacionamento de Maria, presenciaram a morte da mãe. De acordo com Elisangela da Silva, sobrinha da vítima, os vizinhos não ouviram nenhum som proveniente da residência do casal onde ocorreu o crime e o filho mais velho da vítima foi buscar socorro nas residências próximas.

Residência onde mulher foi morta a facadas no Conde, na Grande João Pessoa — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco
Residência onde mulher foi morta a facadas no Conde, na Grande João Pessoa — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

“Moramos próximo mas não escutamos nada. Acordei com meu primo [filho da vítima] pedindo para socorrer a mãe dele. [O crime] foi um choque para todo mundo, está sendo um choque até agora”, relatou Elisangela.

O casal mantinha o relacionamento há cerca de dois anos e há dois meses moravam na residência onde o crime ocorreu. Ainda segundo a sobrinha da vítima, o casal não tinha um relacionamento estável, e brigas e discussões eram recorrentes entre vítima e suspeito.

“Eram brigas todos os dias, eles não viviam bem. Só que ele insistia num relacionamento que não dava certo”, disse Elisangela, sobrinha da vítima. De acordo com a irmã da vítima, Josefa Tavares, Maria Tavares era espancada pelo companheiro com recorrência.

Após o crime, o companheiro da vítima fugiu e ainda não foi localizado. Qualquer informação sobre a localização do suspeito, denúncias anônimas podem ser realizadas através do 197, da Polícia Civil, e 190, da Polícia Militar.

Fonte: g1 PB


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo