Mulher de Santa Terezinha dá à luz em casa por falta de transporte para levá-la à maternidade



Um fato que chamou a atenção e deixou muita gente indignada ocorreu no início da tarde desta quarta-feira (27), na cidade de Santa Terezinha-PB, região metropolitana de Patos. Quando à família da senhora Aline Oliveira Motta, de 21 anos, que mora na Rua José Birro, no Centro de Santa Terezinha-PB, ligou para a secretaria de transporte do município, pois a senhora Aline estava prestes a dar à luz e, portanto, precisando de carro de forma urgente para levá-la à maternidade em Patos. No entanto, a resposta da secretaria foi que no momento da ocorrência não tinha carro disponível para essa viagem. A família pediu então uma ambulância do SAMU, mas também não foi possível, porque a ambulância tinha ido para João Pessoa levar um paciente doente.

O Blog do Jordan Bezerra foi saber a versão do Secretário de Transportes do município de Santa Terezinha-PB, o senhor Leudo Galvão, que explicou o ocorrido. Disse que de fato o carro não foi porque não tinha transporte disponível no momento.

“Quero informar que o carro não foi negado à senhora Aline, o que ocorreu foi que no momento não tinha nenhum carro na secretaria, pois três carros estão na revisão, os outros estavam viajando no momento e a ambulância do SAMU estava em João Pessoa, onde foi levar um paciente, só restava uma ambulância pequena na secretaria, porém estava quebrada”, afirmou o secretario, Leudo.

Foi citado também que a secretaria de transportes tinha pedido o carro do Conselho Tutelar do Município para essa ocorrência, mas também não foi possível.

A reportagem foi então saber a versão do Conselho Tutelar de Santa Terezinha, conversamos com a Conselheira Fabiana Félix, que relatou a situação, afirmou que tinha recebido uma ligação do pessoal da secretaria de transporte.

“De fato, o senhor da secretaria de transporte Leomar me ligou às 14h12mim, para pedir o carro do Conselho, porém na hora da ligação não foi possível compreender bem, pois nós estávamos no momento com o pessoal de serviço de convivência e tinha muito barulho e não deu para escutar direito a gravidade do caso, pois se tivesse entendido ninguém ia negar o carro, naturalmente. Isto porque o carro do conselho tinha feito uma viagem no mesmo dia às 11h, para buscar uns alunos no sítio para não perderem as provas. Pensamos então que era um pedido no mesmo sentido, por isso o carro foi negado, em uma decisão de nós dos conselheiros, pois tememos também  denúncia de mal uso do carro do órgão. Contudo, afirmamos que não houve má-fé do Conselho, mas sim foi um mal-entendido,” finalizou a conselheira.

Um verdadeiro drama vivido pela família de Aline, graças à proteção de Deus, a criança nasceu em casa, e depois foi para a maternidade em Patos. A criança é uma menina e nasceu com 46 cm, 3,1km, e está bem de saúde. O pessoal do conselho tutelar comunicou que já foi visitar a mãe e a menina na maternidade.

Porém, fica um ensinamento para não ocorrer mais uma situação dessa natureza, pois nesse caso, felizmente teve um final feliz, mas nem sempre é assim.

Blog do Jordan Bezerra