• Dra Milena
Politica

MPPB investiga Prefeito de Patos por suposto descumprimento de lei federal. Procurador do município diz que não há irregularidades

Sobre o assunto o Patosonline.com procurou e ouviu o representante jurídico legal do município

ÓTICAS GUIMARÃES

O Ministério Público da Paraíba (MPPB), através da Promotoria de Justiça de Patos, abriu Inquérito Civil para investigar a denúncia de que o prefeito do município, Nabor Wanderley (Republicanos), estaria descumprindo a Lei Federal Nº 13.022/2014, que dispõe sobre o Estatuto Geral das Guardas Municipais.

De acordo com a denúncia, formulada pelo vereador Josmá Oliveira, existe hoje em Patos um número reduzido de guardas municipais efetivos e não houve a convocação de profissionais aprovados em concurso realizado em 2018 para o preenchimento das vagas.

Além disso, a denúncia dá conta de que faltam, inclusive, equipamentos de proteção para os profissionais da Guarda Civil.

De acordo com o promotor responsável pelo caso, Carlos Davi Lopes Correia Lima, 4º Promotor de Justiça de Patos, o descumprimento da legislação pode ensejar em prática de improbidade administrativa.

A portaria de instauração do Inquérito Civil foi assinada no dia 28 do mês passado.

Confira o documento:

COMPLEMENTO: 

Procurador do município diz que não há irregularidades 

Mantendo a prática do bom jornalismo de sempre ouvir o outro lado, o Patosonline.com procurou e ouviu o representante jurídico legal do município, procurador Alexandro Lacerda que disse não ver irregularidade nesse caso.   

Veja o texto enviado ao Patosonline.com 

“Boa tarde! a versão do município é que não existe qualquer irregularidade, as vagas criadas em Patos são de um total de 10 dez e todos foram convocados nos concursos realizados, não pode o município convocar servidores sem previsão legal de vagas. para isso as vagas devem ser criadas. não há qualquer irregularidade, existiria se o município convocasse servidores sem previsão legal. na verdade a denuncia é atendido pedido de candidatos que realizaram concurso e sabendo que eram apenas 10 vagas e querem que o município abra mais vagas que só pode ser feito por meio de lei”.

Texto inicial do pbagora

Complemento e edição do Patosonline.com  


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo