Mistério. Família suspeita que esposa esteja envolvida na morte do comerciante



O Comerciante Bossuet da Costa Gomes (42) [foto] natural da Cidade de Passagem, porém até então com residência fixa em Patos e que atualmente morava com a esposa em São José do Sabugi, RN, onde lá era proprietário de um Bar, foi assassinado a tiro e até agora a polícia não desvendou o mistério de sua morte.

Segundo a mãe e a irmã, Maria Gomes Golveia e Maria Gomes de Sousa, a vítima esteve no último dia 16 de dezembro em sua residência no bairro Dona Milindra aqui em Patos, queixando-se de ameaça de morte.

Ele havia contado aos familiares que teria brigado com um homem na Cidade de São José do Sabugi em seu Bar, que elas não souberam identificar, dizendo que tinha batido no referido rapaz após uma discussão, a qual consequentemente teria gerado a ameaça.

Com medo, Bossuet resolveu largar a mulher que tem familiares na Cidade e voltar para Patos para não ser morto. Segundo os familiares, a esposa da vítima supostamente conhece um dos suspeitos.

De acordo com elas, quando Bossuet já estava estabelecido em Patos, se preparando inclusive para viajar, foi surpreendido com a chegada da esposa que disse ter ido buscá-lo para voltar para casa.

Ainda com medo Bossuet teria dito à mulher que não voltaria mais aquela Cidade após as ameaças a ele proferidas pelo rapaz o qual não teve sua identidade revelada.

Depois de muitos apelos, a vítima se convenceu e retornou a São José em companhia da mulher que também não teve a identidade revelada a nossa equipe.

Com pouco tempo depois, no último dia 31 (trinta e um) do mês de dezembro de 2009, segundo a mãe e a irmã de Bossuet, ele havia sido assassinado a queima roupa por desconhecidos.

Testemunhas teriam afirmado a polícia Norte-Riograndense, que a vítima havia saído naquele mesmo dia em companhia de aproximadamente 03 (três) elementos e um deles armado teria efetuado apenas um disparo, provavelmente de revólver, em sua nuca. Ele morreu na hora.

O rapaz foi encontrado por um popular em seu carro com a cabeça debruçada ao volante cuja maneira despertou atenção da testemunha, que pensou que a vítima tivesse bêbada e não morta para sua surpresa.

Com suspeitas sobre o crime, os familiares decidiram ir em busca de ajuda para o desfeche. A mãe e a irmã da vítima pediram proteção da polícia para se dirigirem até a Cidade de São José do Sabugi na tentativa de descobrir os assassinos dela.

Elas estão com fortes suspeitas da participação da esposa de Bussuet no assassinato dele. Alegam que ela veio ao sepultamento, mas não demonstrou tanta sensibilidade com o assunto e teria entrado em contradição por diversas vezes.

 

Texto e foto de Mário Frade/Portalpatos