Locais

Mesmo após decisão do TJPB para execução de obras na Rua Sebastião Monteiro, em Patos, morador diz que localidade “permanece na lama”

Em vídeo, o morador Irail Oliveira expressou sua indignação com o fato, que persiste há vários anos, mesmo ao longo de diversas gestões municipais.

ÓTICAS GUIMARÃES

No final do mês de janeiro a Quarta Câmara Especializada Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba manteve a decisão que condenou o município de Patos a tomar medidas para a implantação de rede coletora de esgotos e tratamento na Rua Sebastião Monteiro, bairro Monte Castelo, Zona Sul da cidade. No entanto, em contato com o Patosonline.com neste domingo (11), o morador Irail Oliveira disse que a localidade permanece “na lama”.

A sentença da 4ª Vara da Comarca de Patos determinou que a implementação do serviço de captação e tratamento do esgoto sanitário na rua Sebastião Monteiro é necessária, pois as irregularidades apontadas na ação do Ministério Público Estadual violam normas de saúde, bem-estar social e meio ambiente.

Em vídeo, o morador Irail Oliveira expressou sua indignação com o fato, que persiste há vários anos, mesmo ao longo de diversas gestões municipais. O problema se dá devido a uma rede de galerias que estoura com frequência, tornando a rua praticamente intransitável diante da lama, além dos transtornos com mau cheiro.

“Você não tem o direito de entrar em casa, de guardar um carro, uma moto, tem que pedir a algum vizinho que seja solidário. Aqui é abandonado pelo poder público, a situação é essa. Isso aqui é galeria, fezes, lama, tapuru. Uma vergonha para essa administração e outras que já passaram”, disse em vídeo.

Veja o vídeo abaixo:

À época da decisão, a Prefeitura de Patos informou que apresentaria recurso diante da decisão, pois tem o entendimento de que a responsabilidade para execução dos serviços é da Cagepa.

Sobre a nova reclamação do morador, nossa equipe fez contato com a Secretaria de Comunicação da Prefeitura, mas até o fechamento desta matéria não havíamos obtido respostas. O espaço segue aberto para esclarecimentos.

Por Patosonline.com


Mostrar mais
 
Botão Voltar ao topo