• Dra Milena
Locais

Menina vai tomar soro no Hospital Infantil de Patos e volta para casa com agulha dentro do braço; direção vai apurar

ÓTICAS GUIMARÃES

Os pais e familiares da pequena Jamilly Ribeiro de Sousa, de apenas 10 anos de idade, estão revoltados com o Hospital Infantil Noaldo Leite, em Patos. Nesta segunda-feira, dia 16, a menina foi levada ao hospital pelo pai, para tomar um soro, por conta de alguns problemas de saúde que a pequena apresentou.

O problema é que, segundo os pais, no caminho de volta para casa, Jamilly se queixava de grandes dores na região perfurada pela agulha. O pai dela, sem entender o porquê da reclamação da menina decidiu verificar. Ao retirar o curativo colocado pela equipe de enfermagem, o pai de Jamilly percebeu que a agulha com a qual ela havia tomado soro ainda estava inserida no braço da criança, como é possível ver nas fotos enviadas à redação.

Jamilly contou em detalhes como tudo aconteceu, em um áudio enviado pela mãe:

“Eu fui com o meu pai, tomei o soro e ele estava tirando tão rápido o adesivo que segura, ele tirou com tanta força, e assim que ele tirou já colocou o curativo. Quando eu cheguei em casa que fui tirar o algodão, a agulha estava lá. Eu falei, papai, o enfermeiro deixou a agulha no meu braço. Mas quando eu tirei o curativo, já parou de sangrar”, contou a filha.

A mãe de Jamilly disse que, juntamente com o advogado, deverá fazer uma denuncia formal ao Ministério Público. Segundo ela, não apenas por que sua filha foi vítima do que ela considerou ter sido negligência, mas para conter, em suas palavras o que disse ser rotineiro no Hospital Infantil de Patos.

“Muitos deixam para lá, mas temos que correr atrás do direito das crianças. Não é por mim, nem por ela e nem pelo meu esposo, mas pelas outras crianças que podem ser vítimas, uma vez que poderia ter ocorrido coisa pior. O enfermeiro pode até perder o seu emprego, mas e se eu tivesse perdido a minha filha? O enfermeiro consegue outro emprego, mas em alguns casos as crianças nem voltam para casa”, argumentou a mãe.

A reportagem falou com a diretora da unidade hospitalar, Isabella Cristina. Segundo ela, precisa de tempo para apurar as informações e investigar o caso. Ela garantiu que vai responder à família sobre o ocorrido.

“Convoquei toda a equipe do plantão do dia do atendimento a criança amanhã pela manhã. Iremos abrir sindicância para apurar o caso, até porque tenho que ouvir os profissionais também, e afastar quem for necessário depois que apurar as denúncias. Hospital Infantil preza pela assistência e um atendimento de qualidade e resolutividade”, disse a diretora, em resposta à reportagem.

Patosonline.com


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo