Material de Maranhão apreendido em um hospital de Solânea será encaminhado ao TRE



O promotor eleitoral Henrique Cândido que está investigando a denúncia da suposta prática de crime eleitoral ocorrida no Hospital Regional de Solânea, onde foi apreendido material de campanha dos candidatos José Maranhão, Olenka e Benjamin Maranhão, todos do PMDB, deve encaminhar o processo juntamente com o material a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) já na próxima segunda-feira (25).

Segundo o promotor, o envio do material para análise do Procurador Regional Eleitoral será feita possivelmente na próxima segunda-feira (25). Ele disse que já solicitou que o delegado do município de Solânea colha os depoimentos das testemunhas para serem anexadas e encaminhadas ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

“Solicitei que o delegado colha o depoimento das testemunhas para então encaminhar ao Procurador. Estamos encaminhando porque se trata de campanha majoritária e só ele pode analisar se houve ou não prática de crime eleitoral”, disse o promotor.

O material de campanha de Maranhão, Olenka e Benjamin foi apreendido dentro do gabinete do diretor do Hospital Regional de Solânea, pertencente ao Governo do Estado, dois dias antes da eleição de 3 de outubro pelo juiz da 48ª Zona Eleitoral da Paraíba, Ozenival dos Santos Costa.

No Hospital foram encontrados santinhos dos candidatos, xérox de títulos eleitorais, identidades e até documentos de veículos de eleitores e uma relação com nomes de pessoas que deveriam ser atendidas no hospital a pedido dos dois candidatos a deputado. Também foram encontradas cartas que pediam votos tanto para os postulantes ao parlamento quanto para o governável José Maranhão.

Segundo o juiz eleitoral Ozenival dos Santos Costa, a prática estaria sendo caracterizada como crime eleitoral pelo uso da máquina pública.

PolíticaPB