Politica

Mais uma vez bate-boca acaba sessão na Câmara de Patos. Caso vai parar na polícia

Apesar da maioria dos vereadores que compõem a Câmara Municipal de Patos Casa Juvenal Lúcio de Sousa achar um absurdo o que vem ocorrendo no Legislativo patoense, onde só falta mesmo os parlamentares mirins irem às tapas, nada se faz para coibir a luta interna, em que está em jogo o poder, a presidência da mesma.

 

Com isso o que se vê é a troca de ofensa, lavagem de roupa suja, ameaças, denúncias que não estão contribuindo em nada, até o presente, para a resolução dos problemas da cidade.

 

A população assiste estarrecida sem entender aonde essa briga vai dar. Na noite desta terça-feira (10) mais uma sessão acabou antes do previsto devido a falta de decoro parlamentar.

 

Coincidentemente aconteceu na tarde de hoje uma reunião com alguns vereadores, cuja pauta foi justamente para tratar dessa celeuma, arranjar uma forma de trazer a paz de volta à Câmara.

 

Nesta noite, depois de uma ríspida discussão (o foco foi a pane elétrica que impediu a realização de algumas sessões) entre os vereadores José Mota Victor (PMDB) e seu companheiro de partido, o presidente da Casa, Marcos Eduardo.

 

Antônio de Maria (Chico Bocão) usou seu tempo regimental para pedir harmonia entre os colegas. Fez críticas à postura adotada por alguns deles que estão usando a tribuna para se digladiarem.

 

Disse que há 40 dias teve início a onda de troca de insultos e os problemas de Patos foram deixados de lado. Em seu discurso citou acusações feitas contra Ivanes, quando o chamaram de ladrão no período em que este dirigia o Hospital Regional de Patos e o mesmo foi ao TCE e advogou em causa própria, provando sua inocência.

 

Pouco tempo depois Ivanes, usando da questão de ordem, permitido pelo regimento interno, rebateu trechos da fala de Chico Bocão e insinuou que este havia “quebrado” a STTrans, se referindo à campanha eleitoral passada.

 

Nesse momento teve início a sessão bate-boca. Antônio Maria rebateu dizendo que Ivanes havia quebrado o Hospital Regional, se exaltou pedindo respeito do vereador médico, dizendo que caso fizesse outra insinuação iria se arrepender. Foi necessário a turma do deixa disso entrar rapidamente em ação. Trouxeram água para Seu Chico e o retiraram da Plenária.

 

Marcos Eduardo deu a sessão por encerrada. Dr. Ivanes, sobre a discussão que teve com Chico Bocão, disse ao pbnoticias que este há tempos o vem provocando em seus discursos, que também se faz de vítima, agride, mas não quer ouvir a resposta.

 

Ivanes criticou também a suspensão da sessão, enfatizando que Eduardo agiu de maneira precipitada, e que não havia motivos para tal ato. Defendeu sua gestão no Hospital, dizendo que em seu período trouxe significativos avanços para a saúde pública.

 

O presidente Marcos Eduardo explicou que as discussões acirradas no Legislativo são normais devido a eleição para a nova diretoria, mas também enfatizou que passaram dos limites toleráveis pela população. “A sociedade que acompanha as sessões percebe que são aqueles com diploma de ‘doutores’ desta Casa os autores desta baderna”, alfinetou, se referindo aos episódios que já estão se tornando rotineiros no Legislativo patoense, onde há inclusive denúncias de gente indo às sessões armada.

 

O vereador Raniere Ramalho (PMDB) disse que vai propor uma nova reunião com todos os onze vereadores para se dar um basta nesses atos desabonados pela população. “São onze vereadores, onze pais de família, responsáveis, eleitos pelo povo para representar a sociedade. Por isso acredito que resolveremos esse problema com prudência”, enfatizou Raniere.

 

Fonte e imagem: Garimpandopalavras

 

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
close