Mais 38 leitos são abertos no Sertão para o tratamento contra a covid-19



Equipamentos para a abertura de 38 novos leitos foram enviados para os municípios de Patos, Cajazeiras e Campina Grande para ampliar o número de atendimento aos infectados com a covid-19.  Atualmente, a Paraíba dispõe de 1.003 leitos para atendimento Covid-19, sendo 428 de UTI e outros 578 de enfermaria.  

Até o final deste mês, o Governo do Estado ampliará sua rede de referência em 287 leitos, para atender a população. Nos últimos dias, a SES ativou mais de 140 leitos exclusivos para tratar pacientes da Covid-19. Outros 147 serão abertos nos próximos dias, totalizando 287 leitos ativos para o agravo.

O Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, em Patos, terá um incremento de seis leitos de UTI, saindo de 26 para 32 vagas. A unidade também receberá mais 12 novos leitos de enfermaria clínica, deixando a unidade com a capacidade total de 64 leitos para internação de casos moderados ou graves da Covid-19. 
 
Já a UPA de Cajazeiras passará a atender exclusivamente casos de síndrome gripal e o Hospital Regional de Cajazeiras receberá um incremento no número de leitos de UTI. A unidade sairá de 13 para 23 leitos de UTI, além dos outros cinco de Unidade de Decisão Clínica (UDC) já disponíveis no Hospital Regional.
 
De acordo com Daniel Beltrammi, a ampliação de leitos vem para tentar suprir a demanda crescente de casos moderados e graves da Covid-19, que precisam de internação. “O estado não mede esforços para prestar assistência adequada à população Paraíba, porém é preciso lembrar que os recursos não são infinitos. A abertura de leitos depende de recursos, insumos, medicamentos e também da contratação de profissionais qualificados, não são apenas camas e respiradores”, enfatizou.
 
Na segunda Macrorregião de Saúde, mais especificamente em Campina Grande, serão acrescentados mais 10 leitos de UTIs, totalizando 70 leitos de UTI, 40 de enfermaria e três de Unidade de Decisão Clínica (UDC) ao Hospital de Clínicas (HC). Com o aumento na quantidade de leitos totais, a unidade passará a ser maior referência para o agravo no estado.
 
Para Daniel Beltrammi, o momento atual é de cautela e preservação da vida “Precisamos nos resguardar com os cuidados já exaustivamente falados: uso de máscara, lavagem das mãos, distanciamento social e sem aglomerações para que possamos diminuir a circulação do vírus e demanda por internações”, finaliza. 

Clickpb