Maior terceira via da história de Patos aconteceu em 1972. Por Genival Junior



A maior terceira via da história política foi registrada em 1972, com a candidatura do professor Durval Fernandes, pelo partido ARENA2, quando obteve 4.486 votos.

Durval ficou em terceiro lugar, perdendo para Aderbal Martins, que foi eleito com 6.446 votos pelo ARENA1, com o apoio do então governador Ernani Sátiro, e para o Padre Levi, que se impôs em uma candidatura independente ao MDB liderado pelo ex-prefeito Darcílio Wanderley, e foi o segundo mais votado daquele ano com 5.936 votos, quando o eleitorado de Patos era formado por 22.784 eleitores.

Para se ter uma ideia da expressiva votação de Durval Fernandes, ele obteve 25,59% dos votos válidos da época, que foram 22.501, o mesmo que 13.223 votos se projetado sobre a Patos de hoje, tomando como base os 51.674 votos válidos que foram registrados nas eleições municipais de 2016.

O feito de Durval Fernandes supera também outros já registrados na história política de Patos, a exemplo de Edvaldo Mota, 3º lugar em 1968, Adão Eulâmpio, 3º lugar em 1982 e padre Jair Tomazela, 3º lugar em 1996, todos com votações expressivas.

Edvaldo Mota recebeu 3.619 votos pela ARENA1, ou 23,27% dos 15.551 votos válidos daquele ano. Se projetada a votação nos 51.674 votos válidos apurados para prefeito em 2016, Edvaldo teria recebido 12.024 votos.

Adão Eulâmpio, terceiro colocado pelo PMDB em 1982, obteve 4.300 votos, ou 19,58% dos 21.516 votos válidos do pleito, o mesmo que 10.324 votos se projetados no resultado de 2016.

Os votos de Adão, inclusive, ajudaram a eleger Rivaldo Medeiros prefeito de Patos. Rivaldo teve 7.351 votos e chegou a 11.651 com os 4.300 recebidos por Adão. Ele venceu Carlos Candeia, candidato de Ernani e Múcio Sátiro pelo PDS, que terminou com 9.767 votos.

Já o Padre Jair, terminou a eleição de 1996 com 3.829 votos, ou 10,42% dos 36.748 votos válidos ocorridos naquele pleito. Se projetados no eleitorado de 2016, a votação de Padre Jair seria 5.384 votos.

Por Genival Junior – Patosonline.com




Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal Patosonline.com não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.