• Dra Milena
Locais

Macas de ambulâncias do SAMU de Patos continuam sendo retidas no Complexo Hospitalar; assessoria explica

Os condutores buscam esperar até que o hospital consiga uma forma de receber os pacientes, mas a demora pode comprometer o funcionamento do SAMU de Patos

ÓTICAS GUIMARÃES

A reportagem do Patosonline.com recebeu denúncias anônimas, na manhã deste domingo, dia 12, sobre a retenção de macas das ambulâncias do SAMU de Patos no Complexo Hospitalar Regional, diante de ocorrências.

Segundo a denúncia, as ambulâncias são acionadas para ocorrências e, ao chegar no Complexo, como não há leitos suficientes para atender à demanda, as macas das ambulâncias precisam ficar retidas na unidade hospitalar, pois os veículos precisam retornar para a base do SAMU e seguem sem as macas.

Entretanto, os condutores buscam esperar até que o hospital consiga uma forma de receber os pacientes, mas a demora compromete o funcionamento do SAMU de Patos. Sem macas, as ambulâncias ficam impedidas de atender a ocorrências, o que reduz a capacidade do SAMU de atender às demandas.

A denúncia então busca alertar para o problema e diminuir os riscos de comprometer o funcionamento do SAMU e evitar ainda que problemas venham a acontecer futuramente.

A reportagem do Patosonline.com buscou ouvir a assessoria de comunicação do Complexo Hospitalar Regional de Patos sobre essa questão. A assessoria confirmou a denúncia e explicou por que esse fato ocorre. Além disso, o hospital afirma que mudanças recentes na unidade minimizam essas denúncias.

“De fato, isso procede quando há picos de demanda e, com a retomada das atividades cotidianas, por causa das medidas de flexibilização da pandemia, acarretou naturalmente um aumento pela procura de atendimentos e que esbarra, inevitavelmente, na limitação de vagas disponíveis (158 leitos). Mas, a equipe fica atenta e é orientada a resolver essa questão da forma mais ágil possível. Há estudos em andamento para ampliação da capacidade de atendimento da unidade e outras mudanças que minimizarão essa questão!”, argumentou a assessoria.

Patosonline.com

Imagem – Ilustrativa – Internet


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo