Lista traz 336 profissionais de saúde do estado que receberam auxílio emergencial ilegal em Patos. Veja



Ao todo, 188 profissionais da saúde servidores da Secretaria Estadual da Saúde (SES), na Paraíba, receberam auxílio emergencial indevido. São enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, farmacêuticos, psicólogos, biomédicos, cirurgiões-dentista e médico radiologista. No âmbito do Governo do Estado da Paraíba, 6.603 servidores públicos receberam indevidamente o auxílio emergencial.

Do total dos benefícios recebidos ilegalmente por servidores estaduais, 2.897 são servidores da Secretaria Estadual de Saúde, 2.614 são aposentados e pensionistas que recebem pela PBPREV, 466 são servidores da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia e 150 são militares da Polícia Militar.

No caso da Secretaria Estadual de Educação, constam 68 professores da Educação Básica, cuja maioria possui remuneração que varia entre R$ 6.030,04 e R$ 8.773,55, bem como existem 14 diretores e 6 vice-diretores de escolas.

Em relação às prefeituras e câmaras municipais, todas as 223 prefeituras tiveram servidores que receberam auxílio emergencial indevidamente, totalizando 19.298 servidores, e, no caso do Legislativo Municipal, 124 Câmaras de Vereadores tiveram servidores com recebimento indevido do auxílio emergencial, num total de 348 servidores.

Os dez municípios com maior número de servidores públicos que receberam auxílio emergencial indevidamente foram:

Campina Grande (2.961)
Bayeux (1.120)
João Pessoa (926)
Ingá (418)
Patos (336)
Conde (300)
Sapé (293)
Jacaraú (288)
Cruz do Espírito Santo (275)
Cajazeiras (275)

No caso das Câmaras de Vereadores, merecem destaque as Câmaras de Vereadores de Campina Grande (49), Conde (23), Cacimba de Dentro (10), Alhandra (8), Sousa (7), Juarez Távora (7), Cruz do Espírito Santo (6), Queimadas (6), Solânea (6), Caaporã (6) e Alagoa Grande (6).

Em relação às prefeituras, além dos 94 secretários municipais, o recebimento indevido do auxílio emergencial também aconteceu por 26 advogados, procuradores e assessores jurídicos, 21 tesoureiros, 9 médicos, 149 enfermeiros, 68 psicólogos, 48 fisioterapeutas, 41 odontólogos, 15 farmacêuticos, 12 fonoaudiólogos, 7 engenheiros e 362 agentes comunitários de saúde e de combate a endemias.

Segundo Severino Queiroz, a grande dificuldade está em manter contato com as prefeituras e Câmaras Municipais, em razão de ninguém atender as ligações feitas para os telefones que constam nos respectivos portais na internet, bem como pelo fato de as correspondências eletrônicas enviadas paras as caixas de e-mail institucionais estarem retornando. Assim, solicita que representantes das prefeituras e câmaras mantenham contato pelo telefone 83-2108-3046 ou pelo e-mail cgupb@cgu.gov.br, objetivando obter a lista dos seus servidores que necessitam fazer a devolução do auxílio emergencial.

Lista de servidores da Secretaria Estadual de Saúde que receberam auxílio indevido

133 enfermeiros
26 assistentes sociais
21 nutricionistas
16 fisioterapeutas
7 farmacêuticos
5 psicólogos
3 biomédicos
2 contadores
2 cirurgiões-dentistas
2 ouvidores
2 arquivistas
2 assessores de imprensa
1 médico radiologista
1 administrador
1 advogado
1 diretor
1 estatístico

G1/PB