Licitação de iluminação pública é cancelada pela Prefeitura Municipal de Patos



Na última quinta-feira, dia 18, aconteceu o processo de licitação pela Prefeitura Municipal de Patos para que empresas pudessem se apresentar com interesse em serem contratadas para realizar serviços de iluminação pública.

De acordo com informações, 10 empresas se inscreveram para participar, porém, sete destas tiveram propostas desclassificadas. Uma delas chegou a apresentar o valor de mais de R$ 1.000,00 para alguns modelos de luminárias em LED que custam pouco mais de R$ 200,00 no mercado.

Das 10 empresas, sete foram desclassificadas e três inabilitadas, ou seja, todas apresentaram problemas diante das regras de licitação. No entanto, as três inabilitadas terão 8 dias para apresentar documentação e podem vir a realizar o serviço de forma terceirizada.

Na manhã desta segunda-feira, dia 22, a reportagem foi informada que a Prefeitura Municipal de Patos decidiu pelo cancelamento total da licitação ocorrida e deve reabrir um novo processo diante do fato. Mesmo sem a contratação de empresa terceirizada pela gestão, já se encontra movimentação de um representante nas dependências da Secretaria de Serviços Públicos do Município de Patos. O fato causou estranheza.     

A Prefeitura Municipal de Patos tem enfrentado críticas por parte da sociedade que tem visto como desnecessária a terceirização do serviço. Com arrecadação que, de acordo com levantamentos, ultrapassa mais de Quinhentos Mil Reais, a gestão poderia dar as condições necessárias para as equipes da própria Secretaria de Serviços Públicos que dispõe de apenas um veículo, três trabalhadores e uma escada inadequada.

O vereador Jamerson Ferreira (PL) é um dos críticos da terceirização dos serviços de iluminação pública. De acordo com o parlamentar, a prefeitura deve dar condições aos próprios servidores e a compra de insumos para garantir iluminação pública de qualidade. 

A reportagem tentou contato com o secretário de Administração do Município de Patos, Leônidas Medeiros. O secretário não respondeu até o fechamento desta edição.


Jozivan Antero – Patosonline.com