Politica

Lenildo Morais recebe denúncia do SAMU e dispara: “Estamos vivendo uma verdadeira desatenção a saúde em Patos

Após receber algumas ligações solicitando melhorias no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência SAMU e ainda conversar pessoalmente com funcionários do órgão, o pré-candidatoLenildo Morais, disparou contra a administração da prefeita Francisca Motta: “ O que estamos vivenciando em Patos é uma verdadeira desatenção a saúde pública, não foi isso que prometemos em campanha há quatro anos atrás”.

De acordo com Lenildo a atenção básica de saúde em Patos está um caos, o SAMU é um exemplo disso.

“O programa do SAMU que foi criado pelo governo federal em parceira com os municípios, está muito a quem aqui na cidade. Hoje o veículo de intervenção rápida está quebrado, parado sem pneus, isso é um desastre para aqueles que precisam de atendimento através desse veículo. Vemos ambulâncias encostadas, algumas sucateadas. Das duas unidades avançadas uma funcionando normalmente a outra em um estado precário. E só duas ambulâncias básicas funcionando para atender a cidade inteira. Muitos atendimentos deixam de ser realizados, pacientes deixam de ser socorridos por conta dessa ingerência na saúde pública de Patos”. Denuncia Lenildo.

O vice-prefeito reconhece que médicos e demais funcionários não tem culpa pela falta de estrutura de trabalho, por isso faz um alerta para os gestores da saúde municipal.

“Os funcionários desde os médicos até os socorristas, não tem culpa do que está se passando com a saúde pública em Patos, porém é preciso que a gestão municipal tome uma atitude para que se permita que o SAMU volte a funcionar na sua totalidade. Não estou dizendo que está tudo errado ou totalmente sucateado, mas precisa melhorar para que a população possa ser atendida com a maior brevidade possível. Deixar as pessoas sem atendimento por falta de condições de trabalho é muito ruim para a nossa sociedade, só quem sabe é quem precisa do atendimento e fica “à mingua” sem ser atendido

Infraestrutura

Lenildo também cobrou uma melhor infraestrutura para os servidores do SAMU, segundo denúncias feitas ao próprio vice-prefeito, quando chove é uma complicação para se trabalhar no prédio devido ao desgaste estrutural, material de atendimento, como rádio de comunicação que apresentam problemas.

“Além dos problemas já existentes, temos também uma questão de licitações para compra de pneus e peças. A gestão vem alegando isso há algum tempo, porém, esse processo licitatório nunca acaba e assim a população fica prejudicada. Foi denunciado também que as motolâncias que se antecipam e fazem um atendimento mais rádio, chegando com mais brevidade até os locais de acidentes e ou pacientes que solicitam e precisam de um diagnóstico mais rápido para em seguida ser tomadas outras providencias, elas também não estão funcionando”, acrescentou.

Pacto pela saúde de Patos

Para Lenildo é preciso entender a saúde pública, como uma política de estado, ou seja, a gestão em saúde tem que ser compreendida e trabalhada com todos os segmentos que interagem o setor, partindo dos gestores, até a população e partir daí, formar um grande pacto pela melhoria da gestão da saúde pública em nosso município.

“É preciso que seja feito um grande pacto pela melhoria da saúde na nossa cidade. Precisamos ter a grandeza de entender a saúde pública, como uma política de estado, com a interação de todos os que dela fazem parte, desde o governo até a população. Pois, é preciso a participação da sociedade, o conselho municipal de saúde, representantes de bases, profissionais de saúde, principalmente, na atenção básica, para juntos construir uma proposta a ser implementada na nossa cidade, a partir de 2017, independente do candidato que venha vencer as eleições. Se a atenção básica não funciona, teremos os grandes hospitais regionais de média e alta complexidade superlotados, com pacientes que tenham a necessidade de atendimento à atenção básica. Proponho este pacto, para dá saúde, a grandeza necessária, para termos de fato uma política de estado nesta área, ” propôs Lenildo.

Morais ainda fez um apelo para que a administração municipal olhe com mais compromisso para a saúde de Patos, principalmente para o SAMU.

“Eu faço um pedido para a que a gestão municipal faça sua parte e cumpra seu papel de fazer com que esse serviço seja viabilizado e normalizado novamente, pois a população mais carente da nossa cidade possa usufruir desse serviço e obviamente os profissionais do SAMU voltarem a salvar vidas, pois é isso que eles querem também. O SAMU veio para salvar vidas, fazer com que as pessoas recebam assistência médica sem depender de ninguém, mas infelizmente o que estamos vendo é um sucateamento desse serviço em Patos”, concluiu.

 

Eduardo Rabelo – assessoria Lenildo Morais  

 

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
close