Jovem diz que foi curado do COVID – 19 em casa, mas seus familiares tiveram sintomas e relatam dificuldades para fazer testes, em Patos



O senhor Berivan Augusto de Miranda, que reside na Rua Antônio Emídio Rodrigues, Jardim Magnólia, em Patos, buscou a reportagem para relatar a peregrinação da sua família em busca da realização de teste que confirme ou descarte acometimento do novo coronavírus, COVID – 19.

O filho de Berivan, o jovem Breno da Silva, 23 anos, sentiu os sintomas do COVID – 19 e a empresa que ele trabalha o afastou do emprego para tratamento. Dias depois, o jovem fez os exames que confirmou positivo para o COVID – 19. A empresa pagou os exames e o jovem fez o tratamento em casa, pois os sintomas foram menos graves.

Breno da Silva não sente mais os sintomas e disse que está curado, porém, busca fazer o exame mais detalhado, o chamado IGG e IGM, que dirá se ele não transmite mais a doença e de fato está curado. O jovem não tem conseguido fazer o exame mais detalhado através do sistema público de saúde.

O senhor Derivan, sua esposa Maria Ione, a filha de 14, além da esposa de Breno que reside na residência, têm buscado fazer o exame para o COVID – 19. Todos tiveram contato com o filho positivado para COVID – 19 e apresentaram os sintomas, porém, relataram uma verdadeira peregrinação para fazer o exame. “A gente foi para o Hospital de Patos e não conseguimos fazer o exame, depois fomos para o Maria Marques e também não conseguimos e mandaram a gente para o postinho de saúde que é referência, mas até agora ficamos para lá e para cá e não conseguimos fazer o exame”, desabafou Berivan.

Berivan disse que a família está bem e acha que venceram o COVID – 19. “Tomamos sucos, comemos frutas, se alimentamos bem e superamos a fase mais difícil. Quando a gente tinha febre tomava dipirona que foi indicada pelo médico. Breno tomou Redoxon, Biovita que tem vitamina C. Ele está muito bem! Temos que fazer esses exames para saber se estamos curados de verdade! ”, comentou.

A reportagem tentou contato com Samara Marques, chefe do setor de epidemiologia do Município de Patos, para relatar o caso e buscar respostas do órgão, porém, até o fechamento desta edição, não obtivemos êxito.


Jozivan Antero – Patosonline.com