Policial

Jovem de 24 anos é preso suspeito de estuprar adolescente de 13 anos em Teixeira

ÓTICAS GUIMARÃES

Um homem de 24 anos foi preso ontem, 27 de fevereiro, suspeito de estuprar um menino de 13 anos. O crime ocorreu por volta das 22h no bairro Vila Feliz, em Teixeira, Região Metropolitana de Patos.

Pelo o narrado à Polícia Militar, ambos estariam na casa de parentes do adolescente, juntamente com outras duas pessoas, quando em certo momento resolveram deixar o local e seguir a suas residências, onde foram todos juntos. No percurso, o homem de 24 anos afirmou que haveria esquecido um objeto na casa onde estavam, fazendo com que o adolescente retornasse com ele para buscar, e assim o fizeram somente os dois.

No percurso de retorno, o jovem ameaçou a vítima e o obrigou adentrar em um matagal na região e no local isolado foi consumado o ato do estupro.

A Polícia Militar foi acionada via COPOM. Chegando ao local, encontrou o acusado que negou as acusações. O jovem, então foi conduzido a Delegacia de Polícia Civil onde foi apresentado a ocorrência ao Delegado. O fato será investigado.

Como agir em caso de estupro

Se você for vítima de estupro ou estiver auxiliando uma pessoa que tenha sido estuprada, os passos são os seguintes:

É importante inicialmente lembrar que o crime de estupro é qualquer conduta, com emprego de violência ou grave ameaça, que atente contra a dignidade e a liberdade sexual de alguém. O elemento mais importante para caracterizar esse crime é a ausência de consentimento da vítima. Portanto, forçar a vítima a praticar atos sexuais, mesmo que sem penetração, é estupro (ex: forçar sexo oral ou masturbação sem consentimento).

Uma pessoa que tenha passado por esta situação normalmente encontra-se bastante fragilizada, contudo, há casos em que a vítima só se percebe do ocorrido algum tempo depois. Em ambos os casos, é muito importante que a vítima tenha apoio de alguém quando for denunciar o ocorrido às autoridades, pois relatar os fatos costuma ser um momento doloroso. Infelizmente, apesar da fragilidade da vítima é importante que ocorra a denúncia para que as autoridades possam tomar conhecimento do ocorrido e agir para a responsabilização do agressor.

Antes da reforma do Código Penal em setembro de 2018, alguns casos de estupro só podiam ser denunciados pela própria vítima. Isso mudou, o que significa que se outra pessoa denunciar um estupro e tiver provas, o Ministério Público poderá processar o caso mesmo que o denunciante não tenha sido a própria vítima.

Teixeira em Foco

Foto – Tadeu Filmagem

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo