Jornalista patoense Luanja Dantas vence COVID – 19 e conta a história de luta e superação



A jornalista patoense Luanja Dantas, que atualmente reside em João Pessoa e trabalha na TV Tambaú, entrou para a lista daqueles que enfrentaram o novo coronavírus, COVID – 19, e venceram a batalha. Luanja ganhou notabilidade na cidade de Patos e logo conquistou a Paraíba.

Ela decidiu fazer o relato para que sirva de lição e possa trazer fé para aqueles que se encontram aflitos diante da pandemia que aflige o mundo.

Veja o relato:

“Meus sintomas começaram no dia 06 de maio, com uma forte dor de cabeça. Como dificilmente sinto dor de cabeça, fiquei preocupada, mas não associei a COVID – 19. Porém, no outro dia, veio a dor forte no corpo e uma febre de 39 graus. Comuniquei na TV e, por precaução, foi orientada a procurar atendimento. Fui afastada das atividades por enquanto com suspeita da doença.

Procurei atendimento e marcaram meu exame para o dia 12. Nos 5 primeiros dias, foram os piores sintomas que já tive na minha vida. Sentia dores de cabeça fortíssimas que nenhum analgésico aliviava, febre, dores fortes pelo corpo, diarreia e perdi o paladar e o olfato. Senti falta de ar e dores no peito. No exame de radiografia deu tudo normal, graças a Deus.

Fiquei sendo monitorada diariamente pela Secretaria Estadual de Saúde de João Pessoa e também pela Vigilância Epidemiologia, como caso suspeito. Por indicação médica, fiquei em casa isolada por 14 dias, sendo medicada com paracetamol, ingerindo muito líquido e vitamina C.

Somente no dia 22 de maio saiu meu exame e deu positivo para COVID -19. O médico explicou que eu já passei da fase de transmissão e não corro mais o risco de infectar ninguém. Já estou praticamente curada da doença, tanto que fui autorizada a voltar ao trabalho nesta segunda-feira, dia 25. Me recepcionaram de forma muito calorosa e carinhosa por todos os meus colegas de trabalho e pela empresa Rede Tambaú de Comunicação, que inclusive me deu todo suporte e apoio que precisei nesta fase toda.

É uma doença muito ruim, que não afeta apenas o físico de forma muito intensa, mas também e mais ainda o psicológico, pois a gente acha que vai morrer o tempo todo. Acha que vai parar no hospital e precisar de respirador, que vai morrer. É uma sensação angustiante e desesperadora. O apoio que tive de familiares e amigos nesse período foi de fundamental importância para minha recuperação, especialmente a emocional e psicológica,

Por isso, reforço o pedido das autoridades para que as pessoas que puderem fiquem em casa! Cumpram todas as medidas de prevenção e se for preciso sair, usem sempre máscaras. Eu tive todos esses cuidados e mesmo assim, acabei pegando a doença e passei por maus bocados, mas graças a Deus a minha foi moderada e não precisei ser hospitalizada. Mas as dores, os sintomas e especialmente o medo e a incerteza do que pode acontecer são horríveis e faz a gente ficar muito pior.

Graças a Deus, eu venci a COVID e estou aqui dando esse depoimento. A gente, às vezes, acha que não vai acontecer com a gente ou com nenhum familiar nosso. Mas é um inimigo oculto, que pode afetar qualquer um de nós e quanto mais cuidados tivermos, vamos conseguir vencer essa doença e preservar a vida de todos aqueles que amamos”.


Jozivan Antero – Patosonline.com