João Azevêdo e mais 20 governadores assinam plano de pacto nacional contra a Covid-19 para obtenção de mais leitos e vacinas

Agora por meio de uma ampla pactuação dos três poderes e das três esferas da Federação, os governadores esperam que as medidas sejam tomadas de forma mais acelerada. (Foto: reprodução)



No texto do documento, os governadores pedem a expansão da vacinação, com pluralidade de fornecedores e mais compras de vacinas e insumos.

Para pressionar o governo federal acerca de aquisição de mais insumos, leitos e doses das vacinas, o governador João Azevêdo (Cidadania), assinou nesta quarta-feira (10), juntamente outros 20 governadores, o “Pacto Nacional em Defesa da Vida e da Saúde”. Na carta que o ClickPB teve acesso, os governadores solicitam a expansão da vacinação, o apoio para a ampliação do número de leitos e das medidas preventivas de combate à proliferação da covid-19 nos estados.

No texto do documento, os governadores pedem a expansão da vacinação, com pluralidade de fornecedores e mais compras de vacinas e insumos; apoio às medidas preventivas, como uso de máscaras e desestímulos a aglomerações, com o intuito de desafogar os sistemas hospitalares; e o apoio aos estados para manutenção e ampliação de leitos, quando possível.

De acordo com o documento, em fevereiro deste ano, a cobrança já havia sido feita durante uma reunião com os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Agora por meio de uma ampla pactuação dos três poderes e das três esferas da Federação, os governadores esperam que as medidas sejam tomadas de forma mais acelerada. 

O pacto foi assinado por 20 governadores, entre eles João Azevêdo, Gladson Cameli (Acre), Renan Filho (Alagoas), Walvez Goés (Amapá), Rui Costa (Bahia), Camilo Santana (Ceará), Ibaneis Rocha (Distrito Federal), Renato Casagrande (Espírito Santo), Ronaldo Caiado (Goiás), Flávio Dino (Maranhão), Mauro Mendes (Mato Grosso), Reinaldo Azambuja (Mato Grosso do Sul), Romeu Zema (Minas Gerais), Helder Barbalho (Pará), Paulo Câmara (Pernambuco), Wellington Dias (Piauí), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), Eduardo Leite (Rio Grande do Sul), Antonio Denarium (Roraima), João Doria (São Paulo), Belivaldo Chagas (Sergipe) e Mauro Carlesse (Tocantins).