• Dra Milena
Locais

Internauta denuncia atendimento prestado na UBS Walter Ayres à sua mãe hipertensa e que estava com dores no coração; Equipe da unidade se posiciona. OUÇA

ÓTICAS GUIMARÃES

Na manhã desta quinta-feira, dia 11 de agosto, a redação do Patosonline.com foi procurada pela internauta Lidiane Trindade Camboim, que reside em João Pessoa, fazendo uma denúncia acerca do atendimento prestado pela equipe médica da UBS Walter Ayres, no bairro Noé Trajano, em Patos, à sua mãe, Maria de Fátima Trindade de Oliveira, de 65 anos, que estava com dores no coração.

Segundo relatou, na terça-feira da semana passada, dia 02 de agosto, a senhora Maria de Fátima, que é hipertensa, cardíaca e sofre com outros problemas de saúde, sentiu dores no coração e foi levada até a referida UBS para receber atendimento. Ao chegar no local, pediram para a mesma se sentar e aguardar a chegada de um aparelho para examiná-la, porém, passado um determinado tempo, o médico não atendeu Maria de Fátima, não avaliou-a e ela também não foi medicada, tendo que retornar para casa mesmo com dores.

Já em casa, ela passou muito tempo com dores e a família ligou para o SAMU, onde o médico fez o atendimento por telefone: “Tô muito indignada, porque isso pra mim, além da falta de respeito, é ser desumano, pois todo mundo do posto sabe que minha mãe é doente, que minha mãe tem problema de saúde e se a minha mãe tivesse falecido ninguém ia devolver a vida dela. Quero uma providência da Prefeitura, quero uma posição da Secretaria de Saúde, porque isso é inaceitável e eu não vou aceitar jamais que aconteça nem com a minha mãe, nem com ninguém, essa falta de humanidade de desrespeito com as pessoas, porque se fizeram com a minha mãe vão fazer com outros idosos ou até mesmo com crianças e outras pessoas”, relatou.

Lidiane conta que está tentando contato com a ouvidoria da Prefeitura há mais de uma semana, mas até o momento não conseguiu: “Faz uma semana que eu tô tentando contato com a Prefeitura, com a ouvidoria, já liguei pra vários locais pedindo ajuda, porque eu quero que isso chegue à ouvidoria e ao pessoal da secretaria, pra que eles tomem uma providência. Hoje em dia a gente morre em questão de segundos, então, poderia ter acontecido isso com minha mãe e hoje quem estaria sofrendo era eu e meus irmãos”, disse.

Ouça abaixo a denúncia da internauta Lidiane:

A redação do Patosonline.com entrou em contato com o Secretário de Saúde de Patos, Leônidas Dias, que ouviu a equipe de atendimento da referida UBS e enviou a seguinte resposta:

“A paciente esteve na unidade, ao chegar, procurou a equipe de enfermagem para aferir a pressão, porém, a equipe estava em visita domiciliar e estava com o aparelho, e a recepcionista orientou aguardar um pouco que a equipe já estaria retornando. A mesma ficou revoltada, perguntando se só tinha um aparelho pra aferir pressão e que não iria esperar. O médico disse que passou por ela e a mesma perguntou se ele tinha algum aparelho de aferir pressão, respondendo que só a equipe de enfermagem e no momento estava sem o dele. Mas, em momento nenhum, demonstrou que queria consulta médica, nem relatou a recepcionista nem a ninguém, que estava precisando dessa consulta, foi pra casa e saiu esculhambando. Ligou pro SAMU e o médico só medicou por telefone, então não era uma urgência. O médico da UBS estava com os internos na unidade e em momento nenhum iria não fazer esse atendimento, caso ela tivesse dito que queria passar pelo médico”, disse.

Matéria por Patosonline.com


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo