Hospital do Bem marca Dia Internacional da Mulher com doação de perucas para pacientes



A entrega de perucas para as pacientes em tratamento oncológico e o recebimento de doações de cabelos que serão utilizados na confecção de novas perucas marcaram as comemorações do Dia Internacional da Mulher no Hospital do Bem, que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, de Patos. 

A ação contou com a participação do diretor geral do CHRDJC, Francisco Guedes, da gerente da 6ª Regional de Saúde, Liliane Sena, da oncologista Nayarah Xavier e do coordenador administrativo do Hospital do Bem, Thiago Viana. As perucas são uma doação da empresa Perucas Santa Catarina que firmou um convênio, recentemente, com o hospital.

A fotógrafa Jaqueline de Medeiros fez a doação de cabelos durante a ação e destacou que estava feliz por estar contribuindo com o bem-estar de outras mulheres. “Estou me sentindo muito importante, porque quando a gente faz outras pessoas felizes a gente se sente mais feliz e, principalmente, no tempo que estamos vivendo, onde há muitas lágrimas e pouca alegria e minha iniciativa tem o objetivo de trazer felicidade a essas mulheres que fazem tratamento oncológico e que perdem seus cabelos e um pouco da autoestima com isso”, disse Jaqueline que, na ocasião, recebeu um certificado de Boa Ação da unidade, um documento que será entregue a todas as doadoras daqui em diante.

A paciente Gislane Medeiros, 54 anos, que se tratou de um câncer de mama no Hospital do Bem, entre 14 de julho e 03 de novembro do ano passado, com quimioterapia, e que também fez uma cirurgia no dia 02 de dezembro na unidade, foi uma das que foi beneficiada com a doação de perucas. “Essa é minha segunda peruca. No decorrer do ciclo, também recebi uma peruca que com o tempo de uso se desgastou muito e estou muito feliz de poder ser contemplada com uma nova peruca, pois sou vaidosa e com certeza esse adereço me deixará mais bonita e feliz. Estou radiante e muito agradecida”, disse ela, que já saiu exibindo seus novos cabelos.

A oncologista Nayarah Xavier falou da importância da mulher manter sua autoestima durante o tratamento e sobre a importância das mulheres terem empatia com outras mulheres, especialmente, na questão da doação dos cabelos. “A perda de cabelos faz parte de um processo porque, infelizmente, ainda não temos uma medicação que não tenha esse efeito colateral, mas a autoestima também pode ser trabalhada por cada uma, tanto que fico muito feliz quando vejo pacientes que assumem a perda de cabelos momentânea e se acham bonitas também deste jeito, porque quando isso acontece, é porque elas conseguem enxergar a vida muito além da aparência, e isso é fantástico”, disse a médica, reiterando que é salutar a empatia das mulheres na questão da doação dos cabelos, porque esse gesto faz a diferença na vida das pacientes em tratamento ou que já concluíram seus ciclos, mas ainda não recuperaram seus cabelos. Ela ainda parabenizou todas as mulheres, especialmente, as que integram a equipe do Complexo.

O diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, prestigiou a ação e destacou que o Dia Internacional da Mulher é um marco para homenagear as mulheres de forma especial. “Todos os dias é dia da mulher, mas esse 8 de Março é importante para reverenciar de forma única todas as mulheres. E quero ressaltar aqui que,  neste aspecto, o Complexo é muito contemplado, pois tem em seus quadros muitas mulheres e todas elas muito competentes e responsáveis”, disse Francisco que, para homenagear de forma especial suas colegas de trabalho, vestiu uma camisa rosa para simbolizar sua admiração pelas mulheres.

A gerente da 6ª Regional de Saúde, Liliane Sena, lembrou das lutas e avanços da mulher ao longo dos tempos, enaltecendo que essa luta continua por direitos e equiparação com os homens na sociedade atual.  “Antigamente as mulheres não podiam votar, não podiam dirigir, não podiam trabalhar fora e nem usar calças cumpridas. Todas essas e muitas outras conquistas foram resultado de lutas coletivas de muitas mulheres que nos antecederam, mas há ainda outros avanços, tais como a equiparação salarial no mercado de trabalho, a tripla jornada, o preconceito que ainda há com mulheres que conquistaram seus espaços, enfim, ser mulher não é fácil, mas é extremamente prazeroso e enriquecedor”, reiterou Liliane. 

A assistente social Suenia Mota, que ficará responsável pela doação das perucas e arrecadação dos cabelos, explica que os adereços serão distribuídos, exclusivamente, para pacientes tratadas no Hospital do Bem, mediante cadastro. “As perucas serão distribuídas de forma de doação, a partir de um cadastro que deverá ser feito no setor do Serviço Social da unidade, sendo que, para receber a doação, a paciente precisa ter realizado ou estar realizando o tratamento aqui”, explica ela, complementando que as perucas doadas não precisam ser devolvidas ao serviço. No ATP do cadastro, a paciente também pode expressar o desejo de querer uma peruca com seu próprio cabelo (antes do tratamento) ou mesmo diferenciada com Pink ou outra cor. O Hospital recebeu 20 unidades para doação na formalização do convênio com a empresa Perucas Santa Catarina. 

Suenia lembra que a parte de doação de cabelo também é importante. “No convênio que firmamos com a empresa temos que doar o cabelo para receber o adereço, essa será nossa contrapartida”, destaca ela. Os cabelos doados também podem ser entregues no Serviço Social, de segunda a sexta-feira. As doadoras recebem um certificado simbólico expressando a gratidão da unidade pelo gesto de carinho. “Teremos ainda esse ano o dia D de doação de cabelo, que é uma forma de incentivar mais pessoas a praticar esse ato de amor. Vamos realizá-lo nos próximos três meses, com data ainda a ser definida”, afirma Suenia.

Para doar é preciso seguir algumas recomendações:
– Os cabelos precisam estar higienizados e secos
– Ter comprimento mínimo de 30cm
– Precisam estar cortados em gomos e amarrados em elásticos
– Podem ser doados cabelos com químicas, desde não estejam danificados
-Todos os cabelos e cores são aproveitados

Secom PB