“Hospital da mentira…morre gente direto aqui”, diz patoense ao lado da esposa em tratamento no Hospital Napoleão Laureano



Maria Gorete de Araújo Pereira, 39 anos, descobriu em dezembro de 2018 que estava acometida com câncer de útero. Ela é casada há 12 anos com Josevandro da Silva Melquíades, mais conhecido por Vandinho. O casal tem duas filhas ainda pequenas e reside no Bairro Novo Horizonte, em Patos. A vida da família ficou desmoronada com a doença da mãe.

Maria Gorete está internada há 40 dias na área de urgência do Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa. Bastante debilitada, a paciente começou a passar por sessões de hemodiálise após problemas renais. O marido está sempre ao lado da esposa e dorme por vezes na cadeira plástica ao lado da maca e dentro do próprio carro no estacionamento.

Nos últimos dias, Vandinho vem denunciando o descaso no Hospital Napoleão Laureano. Ele acusa o hospital de descaso e de não ter feito os procedimentos necessários para evitar a morte da esposa. “Minha esposa era para ter feito uma cirurgia, mas não fez. Era para ter melhora e ela está cada vez pior. Aqui é falta de assistência e o que querem é dinheiro, mas nós não temos…”, desabafa Vandinho que fez vídeos ao lado da esposa.

O quadro de Maria Gorete, de acordo com informações, é irreversível. A paciente realiza hemodiálise a cada dois dias e os familiares querem que ela venha para Patos, no entanto, não existe vaga para realizar o tratamento no Centro de Hemodiálise que está no Complexo Hospitalar Regional de Patos. A família quer que a mãe passe o resto dos seus dias ao lado dos filhos, dos amigos e demais familiares.

“Minha esposa deveria ter feito uma cirurgia assim que descobriram a doença, mas não. Depois de avançar, aí começaram a fazer quimioterapia, radioterapia e até braquiterapia. Deixaram avançar demais e agora o sofrimento é grande. Os médicos têm ignorado nossos chamados e isso é revoltante. Agora lutamos para que o tratamento continue em Patos, pois aqui sofremos demais e distante de nossos familiares. Sabemos da gravidade e queremos uma vaga em Patos”, desabafou Vandinho.    

Vandinho trabalha na Marcop Pneus, que fica localizada no Bairro Belo Horizonte, em Patos. “Estou sem ir ao trabalho. Ainda bem que o meu patrão se mostrou sensível a nossa dor. Queremos voltar para casa, pois aqui só tem descaso e morre gente a cada dia por falta de assistência adequada”, finalizou.

Jozivan Antero – Patosonline.com



error0
Tweet 20
fb-share-icon20
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com