Governador diz que Estado vai fiscalizar prefeitos no processo de flexibilização



O governador João Azevêdo, durante entrevista neste sábado (13), detalhou como será a adoção do plano ‘Novo Normal Paraíba’ que prevê a retomada gradual e segura das atividades econômicas em todo o Estado por classificação de cores durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo o chefe do Executivo paraibano, haverá fiscalização no cumprimento das medidas em cada município, esses que terão que adotar testagem em massa e, caso algum prefeito venha ‘trapacear’ nos números para acelerar a retomada em sua cidade, esse terá que responder junto aos órgãos fiscalizadores.

De acordo com Azevêdo, a Paraíba será um dos três estados do Brasil que mais fará testagem na sua população. Ele explicou que será por meio desse método que os municípios demonstraram se estão aptos ou não para avançarem na classificação das bandeiras, ao mesmo tempo em que a Secretária de Saúde irá monitorar e tomar as medidas cabíveis caso a doença fuga do controle durante a retomada gradual.

“Nós faremos a fiscalização da aplicação e do retorno desses testes, essas informações nós repassaremos para os órgãos de controle, seja o Ministério Público Estadual, o Federal e a própria Secretaria de Saúde para fazer o devido acompanhamento”, disse em entrevista a TV Cabo Branco.

“É extremamente importante que se continue testando, os municípios precisam entender que esse será um parâmetro que nós iremos utilizar para que ele possa avançar em uma próxima fase, essa é uma questão que precisa ficar muito clara para cada gestor. Tentar esconder o número é óbvio que não vai funcionar, nós iremos estar fiscalizando“, concluiu.

Barreiras de fiscalização

O chefe do Executivo paraibano anunciou ainda o fim das barreiras de fiscalização a partir da próxima segunda-feira. João explicou que não existe, momentaneamente, a necessidade de enrijecer os decretos com barreiras, já que as as medidas mais rígidas tomadas anteriormente foram justamente para que houvesse o controle e desafogamento dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A Paraíba registra 66% de taxa de ocupação.

“Não, essas barreiras que montamos por parte do Governo do Estado serão suspensas, porque nós fizemos o isolamento mais rígido nesses últimos 15 dias exatamente para isso, para que a gente pudesse mais uma vez provocar o achatamento da curva”, afirmou.

Aumento no número de casos com as novas medidas

Ele citou ainda ainda que o Estado já vem se preparando a um longo tempo para o plano de retomada das atividades e que está preparado para um possível aumento no número de infectados. “O nosso plano para abertura prevê mais de 1.300 leitos, seja entre leitos de enfermarias ou de UTI. Inclusive, na próxima segunda estaremos entregando mais uma unidade, a Unidade 2 da Frei Damião, que é o antigo Hospital Santa Paula com mais 150 leitos disponíveis somente para Covid. Então a população pode ficar tranquila”, disse.

“Esse modelo que será publicitado com as bandeiras a cada 15 dias, nós rodaremos ele diariamente para acompanhar qualquer fato que possa sair da curva normal e tomar as providências imediatamente caso haja alterações. Esse é um pequeno passo na direção daquilo o que chamamos de ‘O Novo Normal’, mas é um passo consciente, com muita responsabilidade. Se algumas pessoas imaginaram que abriríamos tudo, quero dizer que não, essa não é a realidade do momento, pois nós temos que fazer as coisas com muita tranquilidade e responsabilidade”, concluiu o governador do Estado João Azevêdo.

Wscom