Gilvan diz que situação de Cássio é terminativa



O ex- líder do Governo Cássio na Assembléia Legislativa, Gilvan Freire, disse nesta sexta-feira, 21, que a situação imposta pelo TSE ao governador Cássio Cunha Lima é “terminativa e que o caminho que resta é cuidar da transição”. Ele defendeu ainda uma postura diferente do grupo Cunha Lima na oposição a Maranhão. “É preciso cuidar da transição porque é o nosso dever perante a decisão tomada pelo TSE que é terminativa”, disse o ex-líder.


Segundo Freire, o governador pode até recorrer ao Supremo Tribunal, mas com pouca chance de sucesso. “Ele pode pedir o pleno direito de defesa ao Supremo, mas eu não vejo como tecnicamente rever essa decisão do TSE”, declarou.


Gilvan disse que Cássio precisa conduzir a transição de governo e cuidar do seu futuro político. “Ele vai ter que fazer a transferência, não com a brevidade que muitos querem, e depois vamos cuidar das eleições de 2010”, afirmou Gilvan.


Freire disse que a cassação do governador vai provocar mudanças no sentimento e na condução da política paraibana em função das lideranças emergentes como o prefeito Ricardo Coutinho e Veneziano Vital.


“O sentimento da população vai mudar, quem era considerado viúva de Maranhão passa a ser governo  e nós teremos a nossas próprias viúvas de Cássio. Mas vamos nos preparar em busca de novos espaços”, disse Freire.


Gilvan disse que Cássio precisa chefiar a oposição, levando em consideração as lideranças novas de Ricardo e Veneziano que ficaram à margem do projeto do senador Maranhão, que será de reeleição em 2010.


“Naturalmente Ricardo e Veneziano estarão excluídos do projeto de Maranhão de reeleição ao governo, e Cássio precisa se aproveitar disso para criar um movimento com mais força incluindo essas novas lideranças”, declarou Freire. 


João Costa