Gilvan diz que Ricardo terá natal feliz com a adesão de Cássio e dos Democratas



O ex-deputado estadual Gilvan Freire (PMDB), que vem assumindo às vezes de analista do cenário político da Paraíba desde que ficou sem mandato, disse nesta terça-feira (08), em entrevista a imprensa local, que o senador Cícero Lucena (PSDB) já deve estar prevenido, pois já sabe da decisão do ex-governador Cássio Cunha Lima e do grupo dos democratas em relação à sucessão estadual.

Gilvan professou o rompimento e disse que Cícero sofrerá os dissabores políticos para 2010. “Se bem que eu acho que Cícero está muito bem prevenido em relação a essas decisões que serão tomadas. Ninguém mais do que ele que acompanha e já sabe o que vai fazer diante dos fatos”, disse.

Segundo Gilvan, tudo indica que o prefeito Ricardo Coutinho terá um natal feliz porque Cássio e os democratas vão tomar uma decisão afinada. “Está muito claro que decisão é essa. O DEM já anunciou o apoio a Ricardo e Cássio só estava esperando por isso. A demora era só porque ele estava esperando por uma decisão em que ele não fosse uma figura solitária, para que ele não tivesse a responsabilidade de tomar sozinho uma decisão. Está muito claro que a decisão será tomada em conjunto”, avaliou.

Diante da profecia, Gilvan disse ainda que o prefeito Ricardo Coutinho terá direito a um Natal mais alegre porque vai ganhar de presente a composição de dois grupos políticos importantes no Estado, que fazem oposição ao governo maranhão III. “Cícero tem que pensar como sair dessa dificuldade", vaticinou.

Na entrevista, Gilvan destacou ainda os seus dissabores sofridos no PSDB e seu afastamento de Cícero Lucena. ”Só porque eu não votei em Fernando Henrique Cardoso, de lá prá cá Cícero não me ajudou em nada. Se ele não me ajudou por que eu deveria ajudá-lo. A administração dele tomou uns contornos que eu não gostei, não avalizei. Eu sou um cara, nesse sentido, muito mais maduro do que Cícero”, disse.

Ele lembrou e desmistificou o fato de que na época foi candidato a governador do Estado contra José Maranhão por exigência do Grupo Cunha Lima. “Pelo Contrário. Eu fui em protesto a incapacidade deles de reagirem diante de divergências políticas. Eles não têm capacidade de brigar, não têm capacidade de escolherem caminhos ainda que sejam traumáticos e graves no ponto de vista de prejuízos que se têm quando vai de encontro ao governo. Romper com o governo só toma quem tem muita coragem. Quem for mole, frouxo e estiver guardando emprego da família, não toma atitude contra governo”, declarou.

Hacéldama Borba/Paraibaonline