Francisca Motta critica boicote da oposição à sessão da AL



Numa cena atípica para um período de pré-recesso, como o que é vivido durante esta semana na Assembleia Legislativa da Paraíba, o plenário da Casa viveu um dia dequórum insuficiente e sem votação de matérias, já que a bancada de oposição ao governador José Maranhão boicotou a sessão e não compareceu à AL. Para a deputada estadual Francisca Motta (PMDB), tratou-se de um comportamento “absurdo, egoísta e miúdo”.

Para a parlamentar, a oposição tem todo o direito de cumprir o seu papel de oposição, mas não mediante boicotes, manobras ou faltas aos seus compromissos como parlamentares. Referindo-se ao pedido de empréstimo feito por Maranhão, ela disse ser um absurdo que a dois dias do recesso a oposição tivesse sumido com oprojeto. “Ninguém sabe para onde foi parar o projeto”, lamentou.

Francisca Motta lembrou ainda que só em Patos, principal reduto da parlamentar, existe uma maternidade regional e um setor de urgência no hospital público que estão com suas obras paralisadas desde o Governo Cássio, e que seriam retomadas por Maranhão após a concessão do empréstimo. “Patos é um bom exemplo de que a Paraíba não se pode dar ao luxo de ficar sem este dinheiro. E tal como Patos, devem existir muitas outras cidades paraibanas em situação semelhantes”, opinou.

Ela destacou, por fim, que o grande problema naquele momento era a dependência que a bancada de situação tinha da bancada de oposição. “Eles são maioria na Casa, ocupam 100% dos cargos da Mesa Diretora e ocupam boa parte das vagas existentes nas principais comissões existentes na AL . Eles nos fazem de refém porque têm poder para prejudicar a Paraíba, o que de fato parece que é o que eles estão tentando fazer”, disparou.


Para Motta, mais grave do que votar contra o empréstimo, é se ausentar e se negar a discutir e a votar o projeto. “É lamentável que isto esteja acontecendo”, concluiu.


Phelipe Caldas/paraiba1.com.br