Esportes

Flu e Portuguesa decidem quem disputará título do Carioca contra Fla

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O jornalista esportivo Fernando Caetano morreu neste domingo (9), aos 50 anos, na cidade de Marília, no interior de São Paulo. O falecimento foi comunicado pela família, via redes sociais, e confirmado pela reportagem.

A causa da morte ainda não está totalmente esclarecida. Segundo o site mariliense Jornal da Manhã, Fernando teria sofrido um infarto há cerca de duas semanas, quando precisou ser internado.

Fernando foi repórter por 30 anos e recentemente havia deixado a Fox Sports. Ele nasceu e cresceu em Marília, até passar no vestibular da PUC (Pontifícia Universidade Católica) e se mudar para São Paulo nos anos 1980. Começou na rádio Jovem Pan em 1991, onde ficou por sete anos e trabalhou em diversas editorias, de economia a polícia. Em seguida, rumou para o esporte.

Ele passou pela ESPN e, mais recentemente, foi repórter de campo dos canais Disney (Fox Sports e ESPN), mas acabou cortado no início de dezembro, na ocasião da demissão de vários profissionais.

Fernando Caetano era um repórter solícito e gentil o tempo todo, dono de um sorriso largo e de uma simpatia que cativava a todos já na primeira conversa. No ar, microfone em mãos, a voz alta, clara e inconfundível segurava entradas ao vivo por vários minutos a fio com perfeito desembaraço. Uma referência na profissão.

Diversos jornalistas e personalidades do esporte têm lamentado a morte de Caetano. O narrador Gustavo Villani, seu amigo pessoal, mostrou-se incrédulo em uma publicação e mandou um “beijo dilacerado” à família. Já Paulo Vinícius Coelho lamentou a notícia terrível.

“Nos deixou cedo demais”, escreveu.

A despedida do jornalista esportivo será realizada ainda neste domingo, no Velório Municipal de Marília, mas com restrições ao número de pessoas por causa da pandemia. O sepultamento será às 16h.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
close