Flamengo irreconhecível consegue virada sobre a Portuguesa



RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – Sem inspiração nem torcida, o Flamengo jogou mal, mas venceu a Portuguesa no Maracanã, na noite deste sábado (14). O placar de 2 a 1 foi justo pela insistência rubro-negra mesmo com a má atuação, mas o time de Jorge Jesus teve sua pior atuação em 2020 no melancólico Maracanã com portões fechados em função do coronavírus.

Os gols de Vitinho e Marcão (contra), após os 44 minutos do segundo tempo, mostraram que mesmo com reservas e numa noite ruim, o Fla está mesmo um patamar acima das outras equipes no Estadual. Com armas para modificar o panorama que se desenhava desesperador no Maracanã, a equipe conquistou uma vitória inesperada pelas circunstâncias do jogo.

O JOGO
Seja pelo vazio nas arquibancadas ou pelos fatores extracampo que antecederam a partida, Flamengo e Portuguesa fizeram um início de jogo lento e desconcentrado.

Com um time misto, o Rubro-Negro esbarrava também na falta de entrosamento, enquanto a Lusinha, que não tinha nada com isso, aproveitava a desorganização para sair para o jogo.

A primeira chance foi do time da Ilha do Governador: aos seis, o veteraníssimo Adriano, de 38 anos, artilheiro da equipe no Carioca, cortou para dentro e soltou uma bomba que tirou tinta da trave de César. Seria um dos poucos bons momentos da primeira etapa.

Até o Fla despertar e enfim incomodar o gol de Milton Raphael demoraram quase 30 minutos. Foi quando Everton Ribeiro recebeu de Renê e bateu rasteiro para obrigar o goleiro a fazer difícil defesa no chão.

Sete minutos depois, Renê voltou a avançar e colocou uma bola na cabeça de Bruno Henrique, na marca do pênalti. Diferente do que costuma acontecer, entretanto, o decisivo atacante colocou força demais e mandou por cima das traves.

O intervalo, desta vez, não serviu para que Jorge Jesus conseguisse melhorar o Rubro-Negro. O Fla voltou ao campo novamente em marcha lenta, e nem mesmo a entrada de Michael na vaga de Pedro modificou o panorama.

Sem dormir, a Portuguesa abriu o placar: aos 12, Michael Douglas subiu pela esquerda, bateu forte e contou com um desvio para trair César e balançar as redes do vazio Maracanã.

Em ato contínuo, o português trocou Diego por Vitinho, tentando dar ânimo ao time. Mesmo com a Lusa recuada e fechando os espaços na entrada de sua área, o Flamengo melhorou. Só que abusou demais dos cruzamentos, fazendo os zagueiros Marcão e Dilsinho aparecerem a todo momento em rebatidas.

Aos 30, enfim, o Rubro-Negro incomodou: primeiro Michael avançou pela esquerda, entrou na área e bateu na rede pelo lado de fora. Depois, Bruno Henrique aproveitou bobeira e apareceu sozinho na pequena área, mas novamente mandou por cima.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2 x 1 PORTUGUESA-RJ
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).
Árbitro: Mauricio Machado Coelho Júnior.
Cartões amarelos: Bruno Henrique (Flamengo); Dilsinho e Henrique (Portuguesa-RJ).
Gols: Maicon Douglas (POR), aos 12 minutos do segundo tempo, Marcão (contra), aos 42 minutos do segundo tempo, e Arrascaeta (FLA), aos 45 minutos do segundo tempo.

FLAMENGO
César; Rafinha, Rodrigo Caio, Léo Pereira e Renê; Willian Arão (Lincoln), Diego (Vitinho), Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Pedro (Michael). Técnico: Jorge Jesus.

PORTUGUESA-RJ
Milton Raphael; Luís Gustavo, Marcão, Dilsinho e Maicon Douglas (Diego Maia); Diego Guerra, Henrique e Romarinho (André Silva); Chay, Adriano e Cafu (Muniz). Técnico: Rogério Corrêa.