“Ficamos sem metade do nosso salário”, relata professora de educação física efetiva do Município de Patos



A professora de Educação Física Roberta Núbia esteve na manifestação promovida pelo Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região (SINFEMP) na manhã desta quinta-feira, dia 05, em Patos. A professora e alguns dos seus colegas reivindicam reposição da gratificação que foi retirada dos seus contracheques por decisão do prefeito interino Ivanes Lacerda (MDB).

Roberta Núbia concedeu entrevista e relatou que recebe atualmente R$ 1.227,00 para uma carga horária de 40 horas nas atividades com os usuários. A professora desenvolve vários projetos e está lotada na Secretaria de Saúde do Município de Patos. Antes, o salário chegava aos R$ 2.500,00. Outro alerta é de que servidores contratados na mesma função estão recebendo R$ 1.900,00 para uma carga horária de dois dias.

Uma comissão de educadores físicos fez contato pessoal com o prefeito interino Ivanes Lacerda. Ivanes disse que iria rever o corte realizado e encontrar meios para reparar a perda, porém, não se comprometeu com data para tal medida. O gestor alega que a Lei Municipal que concedeu as gratificações não foi publicada em Diário Oficial e, portanto, não tem segurança jurídica, porém, o prefeito interino não se dispõe a determinar a publicação.

“…conseguimos essa gratificação através de muita luta. Estávamos recebendo desde 2015…não estamos conseguindo pagar nossas contas com o salário que a gente ficou. Você fazer uma faculdade, fazer pós-graduação, tem colegas que tem mestrado…pra exercer uma função essa que nem temos o material necessário para trabalhar…além da não condição de trabalho ficamos com metade do nosso salário”, relatou Roberta.


Jozivan Antero – Patosonline.com