Gerais

Família de mulher de Itaporanga que está internada no Hospital de Patos com rins quase paralisados denuncia demora para realização de cirurgia; direção esclarece. OUÇA

ÓTICAS GUIMARÃES

Na tarde desta quarta-feira, dia 25 de janeiro, a redação do Patosonline.com foi procurada por familiares da senhora Dalluana Conceição Morais, de 32 anos, residente no município de Itaporanga, denunciando a demora para a realização de uma cirurgia no Complexo Hospitalar Regional de Patos.

De acordo com a família, há cerca de um ano, Dalluana vem sofrendo com problemas nos rins e há aproximadamente 15 dias deu entrada no Hospital de Itaporanga com fortes dores. Após exames, constatou-se que a pedra estava no canal da uretra e o urologista encaminhou a paciente para Campina Grande ou Patos, para realizar uma cirurgia de colocada de um cateter de duplo lúmen, com urgência.

A família conseguiu uma vaga no Hospital Regional de Patos, onde ela deu entrada na semana passada. O médico urologista da unidade, no entanto, disse que esse não era um procedimento de rotina no hospital e seria necessário solicitar o equipamento de fora para poder realizar a cirurgia.

Na última segunda-feira (23), o médico avaliou a paciente e marcou a cirurgia para hoje à tarde, porém, segundo informou uma prima de Dalluana, a equipe disse que não seria mais possível realizar o procedimento e remarcou para a próxima sexta-feira.

“Marcaram pra segunda que o médico ia avaliar e tal pra marcar a cirurgia dela, aí marcaram pra hoje de tarde, deixaram a menina o dia todinho de jejum pra vir dizer agora de tardezinha que não ia fazer mais cirurgia nela e marcaram pra sexta-feira, alegando que apareceu urgência, dizendo que todas as cirurgias tinham sido canceladas”, relatou.

A prima disse que a paciente vem tendo febre constantemente e seu quadro clínico piorando cada dias mais.

A redação do Patosonline.com entrou em contato com a direção do Hospital Regional de Patos, que esclareceu sobre o caso.

Segundo o diretor-geral Francisco Guedes, essa não é uma cirurgia simples, como também não é um procedimento de rotina do Hospital Regional. Foi alugado o equipamento e a empresa responsável está se programando para trazê-lo de Recife-PE na sexta-feira (27).

Francisco Guedes, diretor-geral

Já Dr. Pedro Augusto, diretor clínico, disse que esse tipo de procedimento não é uma cirurgia de emergência, nem urgência, mas que a equipe do hospital está toda envolvida para resolver o caso o quanto antes.

Por Patosonline.com


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo