Ex-secretário do Rio de Janeiro é preso após delação feita na Operação Calvário



Após delação premiada de Daniel Gomes no âmbito da Operação Calvário, a Polícia Federal prendeu o ex-subsecretário de saúde do Rio de Janeiro, César Romero, na tarde desta quinta-feira (16). César foi delator da Operação Fratura Exposta, um desdobramento da Lava Jato que apurou um esquema de corrupção na Secretaria Estadual de Saúde durante a gestão de Sérgio Côrtes. Ele foi preso em um escritório.

De acordo com as investigações, César descumpriu o acordo de delação que havia feito durante a Operação Fratura Exposta. Gravações de Daniel Gomes, delator da Operação Calvário, da Paraíba, mostram que ele protegeu um empresário em troca de dinheiro.

A delação de Romero relaciona políticos e empresários a desvios na saúde, em um processo que envolve o ex-governador Sérgio Cabral. A delação foi homologada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal.

Realizada em abril de 2017, a Operação Fatura Exposta desvendou um esquema de corrupção na Secretaria Estadual de Saúde. Miguel Iskin e Gustavo Estellita, sócios de uma fornecedora de materiais hospitalares para a Secretaria Estadual de Saúde, foram presos na ocasião, assim como o ex-secretário estadual de Saúde Sérgio Côrtes.

Em 2018, a defesa dos empresários Miguel Iskin e Gustavo Estellita pediu a anulação da delação premiada de Romero.

As defesas alegam que uma perícia feita pela Polícia Federal no telefone do delator mostrou que ele teria mentido durante o depoimento e quebrou o acordo com o Ministério Público Federal.

Clickpb