Policial

Ex-prefeito de de Bayeux, Expedito Pereira é assassinado a tiros em JP

ÓTICAS GUIMARÃES

O ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira, foi assassinado a tiros na manhã desta quarta-feira (09) enquanto passava pela Avenida Sapé, localizada no bairro de Manaíra, em João Pessoa. Expedito não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Câmaras de monitoramento registraram o momento do crime.

De acordo com informações da Polícia Militar, o crime ocorreu por volta das 9h10, nas proximidades da Avenida Ruy Carneiro. O suspeito, que estava de camisa preta, teria fugido em uma moto.

Imagens de um estabelecimento próximo gravaram todo o crime. Neste momento, várias equipes da CEATur (Companhia Especializada em Apoio ao Turista) realizam buscas pelo bairro.

História

Expedito Pereira era médico. Chegou à cidade de Bayeux, com irmãos e pais, na década de 60, vindos de Bonito de Santa Fé, no Alto Sertão. Filho de comerciante e ex-vereador, Expedito envolveu-se em diversos movimentos católicos e fundou a primeira comunidade eclesial de base em Bayeux, em 1968.

Estudou na Escola Estadual de Cruz das Armas e no Lyceu Paraibano. Trabalhou como balconista e foi orador oficial do Sindicato dos Comerciários de João Pessoa. Foi um dos fundadores do primeiro grupo de jovens daquela cidade, em 1967. De 68 a 70 fez curso de diácono na Arquidiocese da Paraíba.

Em plena ditadura militar, integrou movimentos estudantis, quando foi preso, em 68, e solto depois da intervenção de dom Helder Câmara (já falecido). Em 1970 ingressou na UFPE, onde cursou Medicina. Também na universidade pernambucana fez o curso de biólogo.

Formado, voltou para Bayeux e foi secretário de Saúde de Santa Rita, de 1986 a 88. Deixou o cargo para se candidatar a vice-prefeito de Lourival Caetano, eleito para mandato de 1989 a 1992. Em 1991 assumiu a diretoria do Hospital Edson Ramalho, em João Pessoa. Com a morte de Caetano, assumiu o cargo de prefeito de Bayeux em 92, sendo eleito em 1996 e reeleito em 2000. Foi novamente eleito prefeito de Bayeux em 2012 e exerceu o cargo entre 2013 e 2016.

Respondeu a alguns processos na Justiça relacionados ao exercício da atividade política. Atualmente não exercia cargos públicos.

Câmeras de segurança flagraram o momento que o político foi executado.

Veja o vídeo:

MaisPB

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo