Ex-prefeito de Campina, Romero Rodrigues é denunciado na Operação Calvário



O Ministério Público da Paraíba (MPPB) denunciou o ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), e mais três pessoas envolvidas na Operação Calvário. Além de Romero foram denunciados os advogados Jovino Neto, Saulo Ferreira Fernandes e Daniel Gomes. A denúncia foi protocolada nesta quarta-feira (24).

A denúncia aponta que a campanha de Romero a prefeito de Campina teria sido custeada com recursos de propinas por parte do empresário Daniel Gomes, gestor da Cruz Vermelha.

os recursos foram pagos com a garantia de que as organizações sociais comandadas por Daniel Gomes assumiriam a gestão na Maternidade Elpídio de Almeida, caso Romero fosse eleito prefeito.

“Como se verá o contrato não foi implementado – registrando-se que a propina acertada foi efetiva e integralmente repassada ao então candidato a prefeito de Campina Grande-PB, ROMERO RODRIGUES VEIGA, parte em mãos e outra parte através de JOVINO MACHADO DA NÓBREGA NETO, advogado sócio do escritório de Advocacia CUNHA LIMA E TARGINO, à época, também, ocupante do cargo de Coordenador Jurídico do Governo do Estado da Paraíba, comandado por RICARDO VIEIRA COUTINHO, em razão de fatos alheios à vontade dos denunciados, visto que os episódios que se sucederam depois da aprovação jurídico-normativa, ano de 2013 pela Câmara de Vereadores de Campina Grande, ocasionaram rupturas e afastamentos entre integrantes dos grupos políticos comandados pela família CUNHA LIMA (Campina Grande) e o pelo governador do Estado RICARDO COUTINHO, em razão da disputa pelo Governo de Estado nas eleições de 2014”, diz a denúncia.

A participação do ex-prefeito Romero Rodrigues no esquema de recebimento de propinas foi apontada pelo empresário Daniel Gomes em delação premiada.

Na denúncia, é solicitada a perda de cargo, emprego, função pública ou mandato eletivo dos réus , além de reparação de danos morais no valor de R$ 150 mil.

Fonte: Parlamento PB