“Estão fazendo política pequena” diz Nabor sobre venda dos terrenos e prédios públicos



O projeto de lei que pede autorização para a venda de terrenos e prédios públicos na cidade de Patos tem causado bastante polemica e gerado vários questionamentos de algumas autoridades e cidadãos patoenses nos últimos dias.

A Prefeitura Municipal de Patos enviou o projeto para a Câmara Municipal.

Os terrenos estão localizados no Bairro Belo Horizonte, onde atualmente funciona o Centro Administrativo, parte do Tiro de Guerra e a STTRANS.

A sessão em caráter extraordinário seria realizada nesta segunda-feira, dia 26, na Câmara Municipal de Patos para apreciação e votação,porém, por decisão do próprio prefeito, a sessão foi adiada para o próximo dia 02 de janeiro de 2012.

Em entrevista a um Programa de Rádio, o Prefeito de Patos Nabor Wanderley, esclareceu algumas questões relacionadas à venda desses imóveis.

O Prefeito afirmou que o principal objetivo da venda do referido imóvel é a construção do Centro Administrativo Municipal: “Nossa visão é concentrarmos toda a prefeitura em um local só e como não temos o dinheiro para construirmos, nossa meta é fazer um leilão daquela área para que com esse recurso possamos construir um novo Centro”, explicou.

De acordo com o Prefeito, o município necessita dessa mudança devido ao crescimento da cidade nos últimos anos: “Patos precisa ter um local para poder a administração funcionar melhor, mas acima de tudo para que a população tenha um lugar especifico para resolver todos os seus assuntos administrativos em relação à prefeitura”, acredita.

O Prefeito não divulgou o local do novo Centro Administrativo, mas garantiu que o projeto já foi encaminhado, com estacionamento, mais espaço e com projeção para possíveis alterações no futuro: “Não adianta fazermos algo limitado, se daqui a alguns anos sentirmos a necessidade de aumentar, para onde vamos aumentar, sendo assim, estamos planejando algo que se adéqüe para futuras necessidades”, disse.

Nabor ainda disse que estão sendo feitas politicagens em cima desse assunto e que podem atrapalhar o objetivo principal, que é o crescimento da cidade: “Quando chega o ano de eleição essa politicagem aumenta, mas eu não entro nessa politicagem pequena, nossa visão é maior, pois queremos, trabalhamos e pensamos no futuro de nossa cidade e eu não posso limitar-me a esses questionamentos muitas vezes pequenos. Claro que muitas vezes temos que dar uma explicação, mas temos que pensar na questão macro que é o crescimento da estrutura administrativa da cidade de Patos”, finalizou.

O valor mínimo para iniciar o leilão é de pouco mais de 4 milhões de reais. Essa avaliação, segundo o Prefeito, foi solicitada pela Prefeitura e feita pelo setor imobiliário municipal, para que dessa forma se tivesse uma base para assim dar inicio ao leilão dentro do valor de mercado.

 

MaisPatos.com