Entidades pedem adequação do Decreto com relação ao comércio de Patos



Representantes da Associação Comercial, Câmara de Dirigentes Lojistas e Sindicato do Comércio Varejista de Patos estiveram reunidos na tarde desta quarta-feira, 08/04/2020, atendendo solicitação de vários empresários que reclamaram da inclusão dos seus estabelecimentos na flexibilização que teve início na última segunda-feira.

Um documento foi elaborado e deverá ser encaminhado nesta quinta-feira, ao chefe do Poder Executivo, no qual constam os seguintes trechos: “Considerando que apenas um caso foi registrado, o que ocorreu a duas semanas, sem a disseminação em meio aos próprios familiares e outras pessoas que chegaram a conviver com o infectado;

Considerando que temos um clima quente e que, segundo os especialistas, existe uma dificuldade de adaptação do vírus na nossa região;

Considerando que Sousa, com características semelhantes, decretou a reabertura do comércio, sem que novos casos referenciais tenham surgido nesse período;

Considerando a inexistência de voos comerciais e transporte público coletivo de massa (metrô, ônibus), o que poderia potencializar a disseminação do vírus em nossa cidade;

Considerando a necessidade de evitar demissões em massa, que causaria danos irreparáveis, sequelas sociais e aumento da criminalidade decidiram encaminhar as seguintes solicitações:

1 – A abertura do comércio em geral, das 8h às 12h, exceto as atividades de potencial aglomeração, já citadas no Decreto Municipal 14/2020, observando que, com a redução do expediente e, consequentemente, a diminuição das despesas das empresas, será possível evitar o fechamento ou a redução drástica das equipes;

2 – Que no âmbito da abertura dos mercados, já determinada pelo Poder Público, a prefeitura faça cumprir as regras estabelecidas e não apenas fiscalize o cumprimento das normas sanitárias, mas faça cumprir todas as medidas (assinaladas no próprio decreto) nas entradas principais dos referidos logradouros com a disponibilização de álcool e máscaras, para inibir qualquer possibilidade de propagação, além de observância a distância entre comerciantes e consumidores;

3 – Em referência ao que fora solicitado na primeira reunião para tratar da questão CORONAVÍRUS, uma resposta concreta, na direção do atendimento da prorrogação da quota cota única do IPTU e novas condições de prazo para os demais impostos municipais.

O documento é assinado pelos presidentes: Iramilto de Assis Medeiros (ACIAP), Oton Ferreira da Silva (CDL) e Carlos Pinheiro Cavalcante (SINCOVEP), representado pelo vice-presidente, José de Sales Martins.

Assessoria

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com