Em reunião com filiados, Unidade Popular avaliou e apontou medidas diante da pandemia da COVID-19 na cidade de Patos



Por meio de entrevista concedida por Emanuel Escarião, presidente do Diretório Municipal da Unidade Popular (UP), no programa Polêmica, na última quinta-feira, dia 21, da Rádio Espinharas FM, foi demonstrada a posição do partido que, inicialmente, avaliou como positivo que o prefeito interino Ivanes Lacerda edite decretos que restrinjam a circulação de pessoas, pois age conforme a orientação da ciência.

No entanto, a avaliação segue afirmando que edição de decreto por si só não basta. O prefeito deve fazer cumprir integralmente o decreto, por meio de fiscalização rígida, contando para isso com parcerias de instituições como a STtrans, Polícia Militar, Bombeiros Militares, Bombeiros Civis, Guarda Municipal e servidores da saúde do Município.

Sobre a possibilidade de lockdown, o partido disse que, mesmo reconhecendo o preocupante cenário de contaminação na cidade, é difícil defender medida tão rígida quando não se sabe sequer quais os reais efeitos gerados pelo adequado cumprimento do decreto, haja vista a falta de fiscalização não permitir essa condição.

O partido cobrou total transparência por parte do prefeito Ivanes, no seguinte sentido: apresentação de plano de ação para combater a pandemia e demonstrar como será executado tal plano; manter a sociedade atualizada quanto à receita disponível para o combate à pandemia, quanto a cidade receberá e qual o destino exato dos recursos públicos.

A UP ainda criticou a postura centralizadora do prefeito Ivanes, alegando que isso tem prejudicado a gestão pública. Tal postura existe mesmo antes da pandemia, e tem refletido negativamente neste momento tão difícil. Defendeu que o prefeito precisa descentralizar a gestão e dar autonomia administrativa à sua equipe.

A cidade de Patos vem tendo crescimento dos casos do novo coronavírus, COVID – 19. Inclusive com perdas de vidas de seus filhos queridos. Faz-se necessário que o povo também tome consciência de que o momento é grave e exige cuidados individuais de cada um dos cidadãos.

Por fim, a UP avaliou, através do seu presidente, que mesmo convicto de que o prefeito pode fazer muito mais, o enfrentamento à pandemia depende em maior medida do governo federal. Nesse sentido, o Brasil amarga um cenário agravado em decorrência de ter um presidente que não honra o tamanho do seu cargo.


Jozivan Antero – Patosonline.com

Foto: arquivo




Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal Patosonline.com não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.