Em Patos, vivendo com seus dois filhos pequenos e tendo renda de apenas R$ 370,00 por mês, dona de casa agradece solidariedade



Edcleide dos Santos Soares, de 27 anos, mãe separada com dois filhos pequenos, vive numa pequena casa na Rua Dr. Edval Porfírio, número 804, Bairro Monte Castelo, em Patos. No dia 02 de fevereiro, a sociedade patoense foi informada da situação enfrentada pela dona de casa que passa dificuldades e sobrevive com apenas R$ 370,00 por mês.

A renda de Edcleide é proveniente da pensão de R$ 200,00 paga pelo pai das duas crianças e do programa Bolsa Família no valor R$ 170,00. Com os R$ 370,00 Edcleide paga R$ 200,00 do aluguel da casa e com o restante vem as despesas com água, luz, botijão de gás, compra comida, roupas e as demais necessidades. Ao se desesperar, a dona de casa pediu apoio da sociedade, pois a fome se fez presente.

Um dos garotinhos, de apenas 3 anos, tem problemas de saúde mental faz tratamento com psicotrópicos. A criança não fala e está sendo atendida pelo Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPS – I). Na casa simples, mãe e filhos moram e dependem da ajuda e solidariedade de amigos, familiares e vizinhos.

Após a campanha feita com a ajuda da imprensa e das redes sociais, Edcleide recebeu cestas básicas e foi visitada pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Município de Patos. Os assistentes sociais, de acordo com ela, disseram que iriam colocar a família para receber o auxílio moradia com recursos do próprio município. A dona de casa está no aguardo.

Na última quinta-feira, dia 11, a reportagem esteve na casa de Edcleide e pode ver de perto a realidade da família. Edcleide disse que se separou diante de um relacionamento complicado e que esse foi o melhor caminho para o casal. O pai das crianças vive de trabalhos esporádicos, o chamado bico. Ele paga a pensão com dificuldades, disse Edcleide.

Na casa de poucos móveis, e estes bastantes desgastados, a reportagem encontrou uma geladeira velha que foi comprada por R$ 150,00 com a ajuda de amigos, dois colchões no chão onde dormem mãe e filhos, além de mesa com 4 cadeiras, um fogão a gás, um armário e uma televisão. Alguns mantimentos doados ainda estavam em sacolas por não ter espaço para guardá-los.

Edcleide convidou a reportagem para esclarecer boatos maldosos e para agradecer a todos aqueles que contribuíram com a família. Ela disse que está em busca de trabalho, mas está cada vez mais difícil.

OUÇA entrevista com Edcleide:



Jozivan Antero – Patosonline.com