Em Patos: Vereador chama de ‘Ladrão’ suspeito de propina sobre o Caso João Claudino



"almirO vereador Almir Mineral (PSDB) que teve seu recesso de junho terminado apenas ontem terça-feira (27), voltou ao Poder Legislativo determinado a fazer justiça contra a acusação de suposta propina de parlamentares, na entrega do Título de Cidadão patoense ao empresário João Claudino fundador das lojas Armazém Paraíba.

O vereador chamou de “ladrão” e “gangue” possíveis envolvidos no episódio e defendeu o trabalho da imprensa na câmara.

O jornalista Jeferson Saldanha que foi o autor das denúncias em sua revista de circulação na Cidade de Patos, esteve presente na sessão desta terça-feira (27) e disse que com a instalação da CPI, que foi protocolada pelo vereador Ivanes Lacerda (PSDB), se for convocado, contribuirá no que for capaz para elucidação das denúncias.

Durante os discursos na Tribuna o vereador Francisco Antônio de Maria, Chico Bocão, criticou o jornalista sem mencionar seu nome, que o teria perguntado se ele sabia quem teria recebido R$ 2 mil reais de propina pelo Título atribuído ao empresário. O vereador ficou visivelmente furioso com a pergunta por alegar que o requerimento, apesar de ser de autoria do então vereador Enemarques Marques Dantas, ele é que tá dando prosseguimento.

Jeferson disse que não adianta pressão, pois nada vai intimidá-lo para que o desfeche da denúncia seja apurado e de fato esclarecido.

Ainda na sessão desta terça-feira um rapaz visivelmente embriagado que estava no auditório, foi supostamente incitado, de acordo com uma fonte, por alguns seguranças do presidente Marcos Eduardo (PMDB), familiares seus e até o motorista, a provocar o jornalista na hora em que Chico Bocão o criticava (sem mencionar seu nome).

O jornalista Jeferson Saldanha se irritou por causa das provocações e quase que uma briga aconteceu no interior da Câmara, envolvendo a “torcida de plantão” dos vereadores aliados ao presidente Eduardo.

Já está na hora do Comando Geral da PM em Patos colocar a disposição durante as sessões na Câmara, uma Guarnição de policiais até o final para se evitar possíveis atritos entre os que ali estão.

Texto e foto de Mário Frade – portalpatos