Em Patos, técnica de saúde bucal vive drama envolvendo seu nome no Estado do Piauí, desde 2003, e clama por justiça



A técnica de saúde bucal Valdecira Lúcia da Conceição, de 40 anos, residente na Rua Projetada, Bairro Santa Clara, em Patos, está vivendo um drama diante do crime que envolve seu nome como professora de matemática na cidade de Currais, no Estado do Piauí.

Valdecira nunca esteve na referida cidade, porém, está pagando um preço alto em decorrência desse fato escabroso e revoltante. Em documentos oficiais, a desempregada e mãe de dois filhos consta como recebendo um salário de R$ 3.000,00 em Currais desde o ano 2.003.

Por motivo deste emprego público que nunca exerceu, no entanto, está como empregada oficialmente, Valdecira está sem receber nenhum benefício social, vem enfrentando constrangimento e vive uma situação de revolta constantemente, pois, nem mesmo a ação no poder judiciário, movido desde 2.013, tem surtido efeito.

Valdecira é casada e o marido tem a renda apenas de serviços diversos e esporádicos, o chamado “bico”. Com um bebê recém-nascido, a técnica de saúde bucal está apelando para a imprensa. Ela espera que algum órgão público de fiscalização e a própria justiça faça algo diante do grave problema.

“Me acidentei e não pude receber auxílio doença. Fiquei desempregada e fiz o cadastro do auxílio emergencial, mas foi negado. Tive também negado o auxílio maternidade e vivo uma situação muito difícil. Cancelei até meu cadastro numa pequena empresa que tentei colocar, pois o INSS tem como se eu fosse professora de matemática no Piauí. Sinceramente, eu estou sem ânimo e clamando por justiça”, desabafou Valdecira.


Jozivan Antero – Patosonline.com

Foto: arquivo TV Sol