Em Patos: Sapateiro tira própria vida por enforcamento



"suicidio"Um suicídio foi registrado pelo COPOM (Centro de Operações da Polícia Militar) na manhã deste sábado (24) na Rua Antônio Lêla, Travessa Maternidade e a vítima foi identificada como sendo o sapateiro, Luzimar Gonçalves Nogueira, 46 anos de idade, separado, conhecido por “Nena” que residia no mesmo endereço.

De acordo com informações do pai da vítima, o taxista Luiz Bento Nogueira, por volta das 09h:30m ela se encontrava na manhã deste sábado em companhia de sua irmã, e no primeiro momento que ela se afastou da localidade ele pegou a corda, colocou no pescoço e provocou a tragédia.

Visinhos de Nena afirmaram terem o visto passando com uma corda nas mãos em direção a sua residência nas primeiras horas da manhã, porém não imaginaram que ele planejava tirar a própria vida.

Seu Luíz Bento, o pai da vítima, quando soube pela filha da atitude dela, ainda correu com muita rapidez para tentar ajudá-la e chegou a cortar a corda, porém não conseguiu salvá-la por causa da gravidade dos ferimentos.

Até às 13h30m nenhuma autoridade da delegacia da Polícia Civil e nem tampouco policiais pertencentes a equipe de Perícia haviam comparecido ao local e o cadáver ficou por mais de quatro horas no chão a espera do rabecão.

O pai do rapaz morto ficou revoltado com a situação e ameaçou levar o caso a imprensa.

Nossa equipe entrou em contato com a PM e a informação é de que a autoridade policial plantonista havia se dirigido até o Vale do Sabugi, em diligência, juntamente com os policiais do IPC para a realização de trabalhos periciais em uma outra ocorrência registrada na localidade.

Uma VTR (Viatura) ficou na localidade até a volta das autoridades resguardando o corpo e o local, enquanto que familiares da vítima, comovidos pela tragédia, tiveram que manter plantão também junto com os militares até a chegada da equipe.

Numa situação como essa a população deixa de contar com mais um apoio no combate a criminalidade social, por causa da ocupação do veículo e dos policiais que estão no resguardo da ocorrência e só podem deixar o local após a chegada da outra equipe.

Texto e foto/Mário Frade – Portalpatos