Policial

Em Patos: Polícia desarticula grupo suspeito de roubos e clonagem de veículos

Um grupo criminoso suspeito de realizar roubos contra estabelecimentos comerciais, roubo e clonagem de veículos e assalto a um carro dos Correios foi desarticulada na cidade Patos, no Sertão paraibano.

Durante uma ação da Polícia Civil, foram apreendidos um reboque e  um veículo roubados e de placas clonadas. Um homem de 25 anos suspeito de integrar o grupo já foi preso e outros dois foram identificados e estão sendo procurados. A polícia acredita que a quadrilha tem oito pessoas.

De acordo com o delegado seccional da Polícia Civil, em Patos, no Sertão paraibano, Sylvio Rabelo, as apreensões e a prisão começaram na tarde da última segunda-feira (28), mas as informações só foram divulgadas pela polícia nesta quarta-feira (30) para não atrapalhar as investigações.

Segundo o delegado, a polícia recebeu a denúncia de que um reboque que havia sido roubado na cidade estava no bairro São Sebastião, em Patos. Quando a Polícia Civil chegou ao local, os suspeitos fugiram. Parte do grupo fugiu em um Volkswagen Golf e outro suspeito de 25 anos tentou fugir a pé, mas foi capturado.

“Assim que chegamos eles se evadiram. No local havia um reboque roubado. O suspeito que fugiu a pé foi preso. Já outros dois fugiram no Golf. Esse Golf teria dado um problema no caminho e os homens abandonaram ele e fugiram a pé. Posteriormente, outra parte do grupo chegou em um veículo Celta, deixou esse Celta no local e resgatou o Golf, fugindo, acreditamos, para Pernambuco”, explicou o delegado.

O veículo Celta havia sido roubado na cidade de Campina Grande e, segundo a Polícia Civil, estava clonado com placas de um carro de mesmo modelo da cidade de Recife.

De acordo com a Polícia Civil, este grupo é suspeito de ter roubado o Celta em Campina Grande; de ter roubado três reboques no Sertão; de ter assaltado uma joalheria na cidade de Catolé do Rocha, no Sertão paraibano; e de ter assaltado um veículo de transporte de valores de uma agência dos Correios, na cidade de Mosssoró, no Rio Grande do Norte.

Ainda de acordo com a polícia, o grupo também tem vínculos com pessoas do estado de Pernambuco. “Estamos investigado todas essas ações, cujo o grupo é suspeito. Sobre esse caso específico do carro dos Correios, a Polícia Civil está repassando todas as informações que estão sendo levantadas para a Polícia Federal que é responsável pela investigação deste caso”, explicou Sylvio Rabelo.

 

Do G1/pb

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
close